Para assinalar o primeiro centenário de nascimento de Amália Rodrigues, a Academia das Ciências de Lisboa decidiu dedicar-lhe, dada a importância da efeméride, uma homenagem em sessão especial.

Considerada uma das maiores cantoras mundiais do século XX (ela foi muito mais do que uma fadista), tornou-se um símbolo ímpar da cultura e da identidade portuguesas – o que permitiria ao fado ser considerado património imaterial da humanidade.

“Camões deu-nos a língua, Pessoa o pensamento, Amália a voz”, sintetizava Natália Correia que a considerava, com autores como David Mourão-Ferreira e Miguel Torga, uma das nossas relevantes poetas.

Cumprindo os objectivos culturais que a norteiam, a Academia das Ciência de Lisboa promove, assim, uma sessão solene em honra de Amália Rodrigues, a partir das 15 horas do dia 13 de Outubro de 2020, aberta ao público (com máscara e por inscrição) e transmitida através da internet (zoom) para vários países de língua portuguesa.

A sessão será conduzida pelo Presidente da Classe de Letras, Jorge Barbosa Gaspar, e serão oradores os académicos Guilherme d’Oliveira Martins, Manuel Alegre, António Valdemar e Fernando Dacosta, e os convidados Professor Doutor Rui Vieira Nery e Frederico Santiago, autor de trabalhos de descoberta, recuperação e edição de gravações inéditas da artista.

Frederico Santiago proporcionará, no final, a audição de alguns desses inéditos, e Manuel Alegre revelará o ensaio de uma gravação (não editada) de Amália com versos seus.