GRUPO DE INVESTIGAÇÃO POÉTICAS EM LÍNGUA PORTUGUESA (PLP)
SEMINÁRIO ONLINE
(No âmbito do projeto de investigação “Reescrever o séc. XVI”)

“O homoerotismo camoniano no Convite que fez a certos fidalgos em Goa”

Por Márcia Arruda Franco

DATA: 28/maio/2020, 15h-17h
DADOS DE ACESSO: O seminário decorre na plataforma zoom-colibri, sendo necessário inscrever-se antecipadamente através deste link: https://videoconf-colibri.zoom.us/meeting/register/tJIvf-Gvpj4qHtzno0-EbZ1CA77xOAtHQ0ZW

Após a inscrição, receberá um e-mail de confirmação contendo os dados de acesso.
Prazo para inscrição: 27 de maio, 12h.

Contacto: micaelar@ilch.uminho.pt / dircehum@ilch.uminho.pt

RESUMO:
A partir da revisitação do efeminado imperador Heliogabalo, é possível interpretar o banquete de trovas como um encontro homoerótico. Para tal é preciso entender o erotismo ao tempo de Camões e a sua desvinculação relativamente a categorias estanques da sexualidade correntes nas sociedades burguesas, onde se opõem heterossexualidade e homoerotismo. Nas sociedades de corte, a vivência da sexualidade seguia parâmetros menos rígidos, em que se admitia a bissexualidade. Estes serão os tópicos abordados neste seminário, no qual se apresentará ainda uma proposta de organização de uma Antologia homoerótica de Camões, a partir do romance Pode um desejo imenso, de Frederico Lourenço.

NOTA BIOGRÁFICA:
Marcia Arruda Franco fez pós-doutorado na Universidade de Lisboa (2001-2003), na UFRJ (2014) e agora (2020) na Sorbonne Nouvelle, Paris 3. Em agosto de 2003 tornou-se Professora Doutora da Universidade de São Paulo, onde defendeu tese de livre-docência em 2017. Tem atuado principalmente nos seguintes temas: Sá de Miranda, releitura, intertextualidade, Camões, Garcia de Orta, Renascimento português e modernidade, sobre os quais publicou livros de ensaios em Portugal, com apoio de agências de fomento do governo português, como a FCT, o CIEC e o IPLB. É membro colaborador do Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos da Universidade de Coimbra (CIEC) desde 2005. Integra a equipe do projeto de excelência subsidiado pelo MINECO, Espanha, sediado no Departamento de Filologia portuguesa da Universidade de Salamanca, Biblioteca virtual de la épica burlesca portuguesa, com o projeto “O Reino da Estupidez na BBM: indagações a respeito de sua autoria e classificação como obra brasileira”. Coordena e integra a equipe USP do projeto “Iniciativas de Parceria Estratégica USP-UMINHO, Edital Conjunto de Apoio à Pesquisa”, AUCANI, com o projeto “Reescrever o século XVI” – Projeto multidisciplinar (Literatura Brasileira, Literatura Portuguesa, História Literária, História Cultural), ao lado de Micaela Ramon, Sérgio Sousa, Vagner Camilo e Carlos Mendes de Sousa. Integra a Equipe organizadora, desde a sua primeira edição na USP, em 2016, da série de edições do Colóquio Internacional Interlocuções Poéticas Brasil-Portugal, com Vagner Camilo (USP) e Maria Aparecida Ribeiro (CLP/FLUC).