O presente trabalho pretende abordar, com base nos Registos Paroquiais, a migração dos ílhavos para a Vila da Pederneira, num período temporal entre 1609 a 1850.

Tem ainda como objetivo dar a conhecer os nomes das pessoas que realizaram essa migração e que na Pederneira se estabeleceram, deixando, em alguns casos, descendência até aos dias de hoje.

Revela, ainda, os locais onde foram sepultados, permitindo relacionar os nomes com o local de sepultura.

Dedica, também, um capítulo a Joaquim Bernardo de Sousa Lobo, apresentando novos elementos sobre este filho de ílhavos, cuja função de Cabo de mar foi de grande importância para a comunidade Nazarena.

Trata-se, por isso, de um estudo breve que pretende desafiar todos os que se identificarem com os nomes e apelidos ali apresentados a pesquisar os seus antepassados, assim como fornece à comunidade de Ílhavo elementos de relevante interesse para o conhecimento dos seus antepassados, dispersos pelo território nacional, durante o século XVIII e XIX.

Carlos Fidalgo