Depois de um primeiro ciclo consagrado ao património e à criação contemporânea na Literatura Brasileira, o tema escolhido para a edição deste ano tem um âmbito assumidamente mais amplo – “Leituras do Brasil”. Sobre ele, cinco personalidades de primeiro plano da Cultura brasileira dos nossos dias – Antonio Cicero, Celso Lafer, Geraldo Carneiro, Antônio Torres e Marco Lucchesi – partilham connosco as suas reflexões sobre a realidade contemporânea brasileira a partir dos seus percursos em campos tão diversificados como os da Literatura, da Poesia, da Música, das Ciências Jurídicas ou da Filosofia.

Na primeira de cinco conferências do ciclo “Leituras do Brasil” Antonio Cicero conversará sobre O país das mestiçagens e será também lançado mais um volume da coleção “Biblioteca da Academia”, publicado pela editora Glaciar com o patrocínio da Fundação Calouste Gulbenkian e da Academia Brasileira de Letras, desta vez dedicado à poesia de Ivan Junqueira.

PROGRAMA

18:30 Lançamento do XII volume da Coleção “Biblioteca da Academia”

Poesia Completa, de Ivan Junqueira

Apresentada por Antonio Cicero

19:00 Conferência “O país das mestiçagens”

Entre as mais importantes características do Brasil encontram-se os notáveis e produtivos cruzamentos raciais e culturais que nele se observam. Assim, ainda na década de 1930, quando estavam na moda teorias – como as do antropólogo alemão Eugen Fischer e as do biólogo norte-americano Charles Davenport – que condenavam a miscigenação, considerando-a como fator de degeneração racial, o antropólogo brasileiro Gilberto Freyre, em seu livro Casa Grande e Senzala, defendia, a partir da análise da sociedade brasileira, que a mestiçagem traz mais aspetos positivos do que negativos para uma nação. Pretendo, na minha conferência, discutir as questões suscitadas pelo retrato do Brasil feito por Freyre.