Aproveitando a vinda a Lisboa de SILVIANO SANTIAGO,  para apresentação da edição portuguesa de Grande Sertão: Veredas, temos o privilégio de contar com a presença, na FCSH-NOVA,  deste escritor e ensaísta cultural e literário brasileiro que, nesta ocasião, nos apresentará a sua obra mais recente:  o romance Machado,  onde narra os últimos anos de Machado de Assis (2016, Prémio Jabuti de Ficção);  a Genealogia da Ferocidade (edições no Brasil e, em tradução castelhana, no Chile, 2017-18), uma proposta  que desconstrói a leitura «domesticadora» daquela obra cimeira de Guimarães Rosa;  a antologia 35 Ensaios de Silviano Santiago (2019);  e Uma Literatura nos Trópicos (2019, edição ampliada nos 40 anos da mesma).

Poderemos, agora, com ele reflectirmos sobre, entre outros, «o [seu ] entre-lugar do discurso latino-americano» ou «o cosmopolitismo do pobre», conceitos que Silviano Santiago criou para aprofundar a análise dos mundos culturais latino-americanos e que ganham cada vez maior contemporaneidade, actualidade e reconhecimento, bem patente este nas várias publicações que, destacadamente no Brasil, Argentina e Chile, se têm dedicado à sua obra nos últimos anos.

No próximo número da revista Culturas,  do CHAM, Fsch-NOVA, reunimos as comunicações apresentadas no simpósio internacional de homenagem a Silviano Santiago, que realizámos em Abril de 2015.

Agradecemos ao autor o generoso encontro que nos brinda e  regozijamo-nos por esta magnífica oportunidade  de o ouvirmos e com ele dialogarmos!

(Organização da Aula de Culturas Contemporâneas de Espanha e da América Latina, regida por Pedro Santa María de Abreu, do Departamento de Línguas, Culturas e Literaturas Modernas e do NEIIA – Núcleo de Estudos Ibéricos e ibero-Americanos).