15 nov. | Sociedade de Geografia de Lisboa | Entrada livre
16 nov. | Sociedade de Geografia de Lisboa – Almoço/ Tertúlia | Inscrição
17 nov. | Passeio Cultural pela “Lisboa de Eça e da Geração de 70” | Inscrição
18 nov. | Auditório BNP | Entrada livre
A 17 de Novembro de 1869 inaugurou-se o Canal do Suez, acontecimento com as maiores repercussões na época nas mais diversas áreas (política, económica, cultural, religiosa…) e que foi também uma via de abertura no diálogo entre o Ocidente e o Oriente.

Eça de Queiroz cobriu, como jovem jornalista, esse evento, publicando uma série de textos no Diário de Notícias, antecipando o escritor que viria a ser, um dos maiores do mundo lusófono.

Cento e cinquenta anos depois, a Revista NOVA ÁGUIA, o MIL – Movimento Internacional Lusófono e o CLEPUL-Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em parceria com diversas instituições, assinalam a efeméride, promovendo este Congresso  que irá abordar temas como Eça de Queiroz jornalista e escritor inspirado pelas suas viagens; representações do Médio Oriente oitocentista na obra de Eça de Queiroz e na literatura portuguesa coeva; a importância do Canal do Suez  e o Médio Oriente, à época e hoje.

O Congresso é de entrada Livre, sem necessidade de inscrição prévia. Ver Programa.
Para se inscrever no  Almoço/Tertúlia e/ou no Passeio Cultural, contacte: info@movimentolusofono.org.
Comissão Organizadora: Renato Epifânio, Annabela Rita, Octávio dos Santos e Rui Lopo.
Parcerias: Academia Lusófona Luís de Camões; Biblioteca Nacional de Portugal; Cátedra Infante Dom Henrique (Universidade Aberta/CLEPUL); Centro Cultural Eça de Queiroz; Círculo Eça de Queiroz; Fundação Eça de Queiroz; Fundação Lusíada; Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes; Instituto Fernando Pessoa; Instituto de Filosofia Luso-Brasileira; Observatório de Língua Portuguesa; Revista Letras Com(n)Vida; Sociedade de Geografia de Lisboa; SHIP: Sociedade Histórica da Independência de Portugal.
Fonte: BNP