Cantigas trovadorescas, prosa literária e documentação instrumental.

 A poesia lírica galego-portuguesa constitui a mais antiga expressão literária da língua portuguesa e é, portanto, património comum do conjunto da lusofonia. Esta manifestação poética, um dos legados culturais mais importantes da Europa medieval, nasceu no seio da aristocracia galega no último quartel do século XII, tendo sido adotada em Portugal, muito provavelmente, já em finais dessa mesma centúria. O cultivo desta moda literária, importada da Provença mas com características específicas muito marcantes e originais, prolongar-se-á até ao primeiro quartel do século XIV.

A lírica profana ordena-se em três géneros maiores: a cantiga de amor, a cantiga de amigo e as cantigas de escárnio e maldizer. Os dois primeiros compartilham a temática amorosa, mas com sujeitos diversos, ao passo que o último é de natureza satírica com uma intenção cómico-burlesca. Por outro lado, as Cantigas de Santa Maria representam a produção lírica de tipo religioso e estão integradas maioritariamente por relatos de milagres atribuídos à Virgem.

Além de um conjunto representativo da poesia lírica, são integrados neste volume um grupo emblemático de textos em prosa literária e documental escritos em português desta época.