ANTONIO JOSÉ VIALE, do Conselho de S. Magestade, Commendador da Ordem de Christo, Official da Bibl. Publ. de Lisboa, Mestre de grego d’Elrei o Sr. D. Pedro V, e de seus Augustos Irmãos, Socio da Acad. R. das Sc. de Lisboa, do Conservatorio Real, etc. etc.-N. em Lisboa, em 1807. -E

938) David Triumphante: Poema heroico offerecido ao Ill.mo e Ex.mo Sr. D. Vicente de Sousa Coutinho, Conde d’Alva etc. Lisboa, na Imp. Reg. 1819. 4.º de VIII‑23 pag.-Consta de dous cantos em outava rima. Producção publicada pelo auctor aos doze annos de sua edade.

939) Bosquejo Historico‑poetico dos acontecimentos mais importantes occorridos em Portugal até á morte do Senhor Rei D. João VI. Lisboa, na Typ. da Revista Universal 1856. 8.º de VI‑94 pag.-É dividido em dous cantos, em outava rima. O auctor declara tel‑o composto com o fim de que servisse aos estudantes de Humanidades para melhor gravarem na memoria os principaes successos da historia patria.

940) Novo Epitome da Historia de Portugal para uso da Real Eschola Primaria estabelecida por Sua Magestade ElRei no palacio de Mafra. Lisboa, na Typ. de Castro & Irmão 1856. 8.º de 207‑VIII pag.-Este compendio, que serve de complemento e commentario ao antecedente, não traz expresso o nome do seu auctor.

941) O sexto canto da Iliada, e os dous primeiros cantos do Inferno de Dante, traduzidos das linguas originaes. Lisboa, na Typ. da Acad. Real das Sciencias 1855. 4.º gr.-E no tomo I parte II das Memorias da Acad., Nova Serie, Classe 2.ª

942) O canto V do Inferno de Dante.-Nos Annaes das Sciencias e Letras, publicados sob os auspicios da Acad., Classe 2.ª, tomo I pag. 185 e seguintes.

943) Fragmento do canto primeiro da Odysséa, traduzido em verso solto. -Na Revista Universal Lisbonense vol. IV, 1845, pag. 471. No mesmo vol. a pag. 32 diz o sr. Castilho (Antonio) «ter tido em seu poder o referido primeiro canto já concluido, com que o traductor o regalara, todo no estylo e phrase tão repassado da sincera naturalidade antiga, e não obstante a sua fidelidade ao original, tão claro, tão fluente, e pare os bons ouvidos tão aprasivel, que todos os muitos amigos do senhor Viale deviam empenhar‑se com elle para que não levantasse mão d’aquella ardua empreza antes de a concluir inteiramente.»

Collaborou com João da Cunha Neves Carvalho Portugal na redacção do Jornal da Sociedade Catholica em 1844 – e foi depois principal redactor do Catholico, que passou de suas mãos para as de José Barbosa Canaes de Figueiredo Castello Banco. Outros mais trabalhos litterarios se lhe attribuem, de que não estou ainda habilitado a dar noticia circumstanciada e exacta.

 

[Diccionario bibliographico portuguez, tomo 1]