D. IOAÕ NUNES BARRETO. Teve por patria a Cidade do Porto, e por Pays a Fernaõ Nunes Barreto Senhor dos Morgados de Freiriz, e Penagate, e a D. Izabel Ferràs de igual nobreza à de seu Consorte. Instruido na patria com os primeiros rudimentos passou á Universidade de Salamanca onde recebeo o gráo de formatura em os Sagrados Canones, e restituido a Portugal foy nomeado por seu irmaõ Gaspar Nunes Barreto em a Abbadia de Freiris da qual era Padroeiro, dezempenhando taõ exactamente a obrigaçaõ pastoral, que era conhecido pela antonomazia de Abbade Santo. Dezejando seu irmaõ o Padre Belchior Barreto de quem já fizemos memoria em seu lugar, atrahillo ao instituto da Companhia de Iesus, que professava lhe persuadio com efficacia preferir a vida religiosa à Ecclesiastica seguindo antes o socego da Magdalena, que a deligencia de Martha. Illustrado com as sombras de hum misterioso sonho deixou o seculo, e vestio a roupeta de Jesuita em o Collegio de Coimbra a 11 de Novembro de 1544. Ainda naõ contava quatro annos de religioso alcançou com instantes rogos faculdade dos Superiores para com a voz, e com a prezença consolar aos Christaõs prezos nas horrorosas masmorras de Tituaõ, e Berberia. Neste barbaro theatro brilhou a sua ardente charidade em obsequio dos infermos ministrando os Sacramentos para consolaçaõ dos Catholicos, e pregando as verdades Evangelicas para confusaõ dos Mouros. Naõ somente triumfava a sua eloquente efficacia dos dilirios de Mafoma, mas das chimeras do Talmud convencendo a obstinada perfidia dos Judeos com a evidencia da divindade do Messias. Tendo exercitado este laborioso ministerio pelo espaço de seis annos em que por sua industria resgatou duzentos cativos, chegou a Lisboa onde foy eleito pela Magestade de D. Ioaõ o III. Patriarcha da Etiopia de cuja dignidade o achou benemerito o espirito de Santo Ignacio, e a prudencia deste Monarcha. Obrigado do preceito de Paulo IV. someteo os hombros a taõ formidavel pezo sendo Sagrado na Igreja da Santissima Trindade a 24 de Mayo de 1555. pelo Bispo de Portalegre D. Juliaõ de Alva Esmoler mòr da Raynha D. Catherina. Partio de Lisboa a 28 de Março de 1556. embarcado em a Náo Garça de que era Capitaõ D. Ioaõ de Menezes de Siqueira, e logo, que chegou a Goa aplicou todo o disvelo para entrar no seu Patriarchado, e salvar aquellas ovelhas, que vagavaõ naufragantes em hum pelago de erros scismaticos, porem como se lhe dificultasse a execuçaõ de seus fervorosos dezejos resignado na vontade divina se dedicou em Goa a doutrinar a mais infima plebe. Na Ilha de Choraõ pouco distante de Goa edificou humas cazas humildes junto da Igreja de Nossa Senhora da Graça onde retirado ao comercio humano fallava mentalmente com Deos unico objecto da sua meditaçaõ. Assaltado de huma aguda febre voltou para o Collegio de S. Paulo, e recebendo com jubilo a certeza de ser chegada a ultima hora da sua vida passou para a eterna a 22 de Dezembro de 1562. quando contava 45 annos de idade, e 18 de Companhia suposto, que escrevemos nas Mem. Polit. e Milit. delRey D. Seb. Part. 2. liv. 1. cap. 16. §. 123. fora o seu transito a 20 de Dezembro firmados na authoridade do Padre Nicolao Godinho de Abyssin. reb. lib. 2. cap. 22. onde desde pag. 228. até 343. escreve a vida deste zelozo Varaõ do qual fazem digna memoria Franco Ann. Glorios. S. J. in Lusit. pag. 747. e na Imag. da Virt. em o Nov. de Coimb. Tom. 1. liv. 2. cap. 1. até 8. Guerreiro Addic. à Relac. da Etiop. cap. 4. Orland. Hist. Societ. Part. 2. lib. 6. n. 164. Telles Chron. da Companh. de Jes. da Prov. de Portug. Part. 2. liv. 6. cap. 1. 2. 35. 36. e 37. e na Hist. da Etiop. Alt. liv. 2. cap. 25. e 34. Jarricus Thezaur. rer. Indic. lib. 1. cap. 15. Couto Decad. 7 da India liv. 3. cap. 6. Guerreiro Coroa dos Soldad. Esforçad. liv. 3. cap. 6. Girardi Diario Part. 4. a 22 de Dezembro Ioan. Soar. Brito Theatr. Lusit. Litter. lit. 1. n. 58. Nadasi Ann. dier. memor. S. J. Part. 2. pag. 333. Marangoni Thezaur. Paroch. Tom. 2. pag. 84. Escreveo.

Carta escrita de Tetuaõ aos Padres do Collegio de Coimbra. Della sahio  alguma parte impressa na Imag. da Virt. Nov. de Coimb. Tom. 1. pag. 247. E traduzida em Latim pelo Padre Guerreiro de Abyssinor. reb. lib. 2. cap. 11. pag. 275.

Cartas escritas de Tetuaõ a hum Padre Jesuita, que em Lisboa solicitava a liberdade dos cativos. Parte dellas estaõ impressas na Imag. da Virtud. Tom. 1. pag. 248. 249. e 250.

Carta escrita a Santo Ignacio em que instantemente lhe pede naõ consinta, que elle seja provido na dignidade Patriarchal. Desta Carta a mayor parte está vertida em Latim no Padre Guerreiro de Abyssin. reb. pag. 287.

Carta ao P. Luiz Gonzalves da Camara em que lhe pede alcance licença delRey para renunciar o Patriarchado. Sahio impressa pelo Padre Franco Imag. Da Virt. assima allegada pag. 259. e em latim pelo Padre Guerreiro de Abyssin. reb. pag. 339.

Tres Cartas escritas ao Geral da Companhia em Goa no anno de 1559. Sahiraõ traduzidas em Italiano com outras. Venetia por Tramezzino. 1562 8.

Carta escrita de Goa em o primeiro de Dezembro de 1556. a ElRey D. Ioaõ o III. He muito extensa, e o Original se conserva no Archivo da Caza professa de S. Roque de Lisboa como tambem a seguinte.

Carta escrita de Goa ao Padre Luiz Gonzalves da Camara a 6 de Novembro de 1556. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]