P. IOAÕ DE NAZARETH natural da Villa da Pederneira do Patriarchado de Lisboa, e filho de Ioaõ Fernandes, e Cecilia Rodrigues taõ dotados dos beneficios da graça, como dos bens da fortuna. Na primeira idade mostrou genio inquieto, e turbulento armando de motivos leves pendencias graves que serviaõ de universal escandalo. Penetrado de hum mysterioso sonho mudou de condiçaõ, e estado de vida recebendo o habito de Conego Secular do Evangelista amado em o Real Convento de Santo Eloy de Lisboa no faustissimo dia da Assumpçaõ da Senhora, e ebaixo de taõ feliz auspicio começou a sogeitar a rebeldia da carne às leys do espirito jejuando quartas, sextas, e sabbados, e comendo na Quaresma, e Advento manjares grosseiros, que nem satisfaziaõ o apetite com a quantidade, nem o deleitavaõ com o sabor. Todos os dias se açoutava duas vezes com disciplina de ferro fazendo mais penetrantes os golpes a actividade do impulso, e a dureza do instrumento. Eleyto Reytor do Convento de Villar reedificou a Igreja para cuja obra concorreo o Ceo com maõ invizivel. Armado de zelo apostolico se oppoz à execuçaõ de hum subsidio Ecclesiastico, que ou por falta de conselho, ou por excesso de ambiçaõ impuzera o Arcebispo de Braga D. Luiz Pirez da Cunha. Depois de ter governado quatorze annos o Convento de Villar sendolhe revelado o termo da sua peregrinaçaõ se despedio dos Padres de Santo Eloy por huma carta. Tolerada com grande resignaçaõ a ultima enfermidade pelo espaço de tres semanas em que triunfou de diversas sugestoens diabolicas, recebidos os Sacramentos com ternura expirou placidamente a 27 de Fevereiro de 1478. Fazem delle mençaõ o Illustrissimo Cunha Hist. Eccles. de Brag. Part. 2. cap. 55. Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 1. pag. 534. e o Padre Francisco de Santa Maria Chron. dos Coneg. Secul. liv. 3. cap. 60. 61. 62. e 63. Compoz.

Tratados espirituaes.

Officios, e Hymnos a S. Gregorio Magno, S. Jeronimo, Santo Ambrosio, S. Clemente Martyr, S. Nicolao Bispo, e outros Santos.

Officio de Nossa Senhora chamado Vigilia que todos os sabbados se cantava nas Cazas da Congregaçaõ como escreve o Padre Francisco de Santa Maria na Chronica assima allegada pag. 821.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]