IOAÕ DE MORAES MADUREYRA FEYJOO natural da Freguezia de S. Gens de Parada termo da Cidade de Bragança em a Provincia de Tras dos Montes onde teve por Pays a Alvaro Annes de Moraes Madureira Morgado de Parada, e Fidalgo de juro, e herdade, e a D. Theodora Pinto do Lago de igual nobreza à de seu Consorte. Ornado de talento agudo aprendeo com facilidade os preceitos da lingua Latina, colheu as flores da Rhetorica, e Poetica, e penetrou os arcanos da Filosofia, e Theologia em cuja sublime Faculdade recebeo o gráo de Bacharel em a Universidade de Coimbra. Exercitou com elegancia, e profundidade o ministerio de Orador Evangelico. Sendo eleito Prior da Parochial Igreja de Nossa Senhora do O da Villa de Ançaã do Bispado de Coimbra dezempenhou as obrigaçoens de vigilante Pastor dispendendo grande parte da copiosa renda que percebia, em socorro dos pobres que o lamentaraõ intempestivamente morto a 29 de Outubro de 1741. Foy Mestre do Excellentissimo Duque de Lafoens D. Pedro Henrique de Souza Tavares Mascarenhas da Silva para cuja instruçaõ compoz as obras seguintes que manifestaõ a profunda sciencia que professava da Gramatica Latina.

Explicationes in omnes partes totius Artis R. P. Emmanuelis Alvres è Societate JESU ad usum Excellentissimi Ducis Alafonensis. Ulyssipone apud Michaelem Rodrigues. 1729 4. Sahio segunda vez acrecentada com o titulo seguinte.

Arte explicada 1. Parte Principios. Contem todos os Nominativos Linguagens, Rudimenta, Generos, Preteritos, e Declinaçoens dos Latinos, e Gregos com toda a explicaçaõ necessaria para a perfeita intelligencia dos Principiantes; os methodos de preguntar em cada principio para se saberem em breve tempo, e com facilidade. Lisboa por Miguel Rodrigues. 1735 4.

Arte explicada 2. Parte. Syntaxe para o uzo do Excellentissimo Duque de Lafoens. Lisboa pelo dito Impressor. 1730 4. Tem no fim. Reposta Apolegetica a humas Notas ou Censuras, que sahiraõ contra a Arte do Reverendo Padre Manoel Alvres. Ao Excellentissimo Duque de Alafoens. Estas Notas fez, e publicou Manoel Coelho de Souza, como em seu lugar se dirá. Coimbra por Luiz Seco Ferreira. 1739. 4.

Arte explicada. Appendix da Syntaxe perfeita, e segundo Tomo da segunda parte. Escholios de Nomes, e verbos ad usum Excellentissimi Ducis Allafonensis. Lisboa por Miguel Rodrigues. 1732 4. e Coimbra por Luiz Seco Ferreira. 1739 4.

Arte explicada 3. Parte e 4. Tomo. Syntaxe Figurada, Syllaba, e Versos com a mediçaõ ad usum Excellentissimi Ducis Allafonensis. Lisboa por Miguel Rodrigues. 1732 4. e Coimbra por Luiz Seco Ferreira. 1739 4.

Orthografia, ou arte de escrever, e pronunciar com acerto a lingua Portugueza. Divide-se em tres Partes. A 1. de cada huma das letras, e da sua pronunciaçaõ; das vogaes, e Dithongos; dos Accentos, ou tons da pronunciaçaõ. A 2. de como se dividem as palavras; da pontuaçaõ; algumas abbreviaturas, conta dos Romanos, e Latinos, Calendas, Nonas, e Idos. A 3. dos erros do vulgo, emendas da Orthografia no escrever, e pronunciar toda a lingua Portugueza. Verbos irregulares, palavras dubias, e as suas significaçoens. Huma breve instruçaõ para os Mestres das Escholas. Lisboa. por Miguel Rodrigues Impressor do Senhor Patriarcha. 1734 4. e Coimbra por Luiz Seco Ferreira. 1739 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]