IOAÕ LOPEZ RAPOSO DA CASTANHEDA natural da Villa de Torres Novas filho de Manoel Iorge Rapozo, e Domingas Rodriguez, e irmaõ de Fr. Manoel da Resurreiçaõ Agostinho Descalso, Procurador Geral da sua Congregaçaõ em a Curia Romana, e de Luiz de Castanheda Rapozo Freyre da Ordem militar de S. Tiago dos quais se fará mençaõ em seus lugares. Depois de estudar a Iurisprudencia Cesarea na Universidade de Coimbra passou a servir os lugares, que lhe prometiaõ a sua profunda sciencia unida com grande desinteresse, como foraõ Iuiz de fora de Sylves, e da Cidade de Pinhel donde foy provido em a Correiçaõ de Evora. Falleceo na sua patria a 9 de Abril de 1703. Foy muito aplicado a liçaõ da Historia secular, e de Genealogia em que o seu fecundo engenho produzio os seguintes frutos.

Familia dos Alancastros de Aveiro, e das Familias com que aparentáraõ, e outras de Torres Novas. fol. M. S.

Relaçaõ do descubrimento dos Santos da Cidade de Concordia. Dedicada ao Duque de Aveiro; da qual faz mençaõ o Licenciado Iorge Cardozo Agiol. Lusit. Tom. 3. pag. 763. no Commentar. de 20 de Iunho letr. A.

Relaçaõ da chegada a Lisboa do corpo do admiravel varaõ invicto Cavalleiro de Christo, Heroe famoso, e acerrimo defensor da Fé, e generoso Capitaõ do Oriente o Senhor Andre Furtado de Mendoça Governador da India. 4. M. S.

Vida, y muerte del Señor Obispo de Otranto D. Fr. Diego Lopes de Andrade Lusitano de la Orden de S. Augustin. 4. M. S. Consta de 11. Capitulos. Estas duas obras se conservaõ na Livraria do Convento da Graça de Lisboa dos Erimitas de Santo Agostinho onde as vimos.

O moderno addicionador da Bib. Occid. de Antonio de Leaõ Tom. 2. Tit. 23. col. 841. o faz author da Vida do V. Gregorio Lopes porem enganou-se pois (como afirma Pedro Lobo Correa em o Prologo da Vida, q compoz deste servo de Deos impressa em Lisboa por Domingos Carneiro 1675 . 8.) sendo Ministro tirou quatro testemunhas authenticas, que deposeraõ ser o V. Gregorio Lopes natural da Villa de Linhares em a Provincia da Beyra, e naõ de Madrid como escreveraõ algumas pennas Castelhanas.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]