Fr. IOAÕ DA MAGDALENA. Naceo na Villa de S. Ioaõ da Pesqueira em a Provincia da Beyra onde recebeo a primeira graça a 2 de Fevereiro de 1644. Como na adolescencia descubrisse genio para o estudo o mandaraõ seus Pays Manoel de Carvalho, e Ioanna Gonzalves de Almeyda aprender Gramatica, e letras humanas em que sahio taõ eminentemente instruido que mereceo receber o habito da Ordem Terceira da Penitencia em o Convento da Villa do Mogadouro onde professou solemnemente a 23 de Iulho de 1663. Completos seis annos do estudo das sciencias severas ao leyo com aplauzo no Convento de Viana do Alentejo, e no Collegio de S. Pedro de Coimbra até jubilar em 17 de Ianeiro de 1691. havendo sinco annos que tinha tomado o juramento de Qualificador do S. Officio. Foy Reytor do Collegio de Coimbra, Comissario Provincial na auzencia que fez no Capitulo geral celebrado em Roma o Ministro Provincial Fr. Francisco do Espirito Santo, Custodio da Provincia, e ultimamente duas vezes Provincial, a primeira a 20 de Março de 1694. e a seguinte por Motu proprio da Santidade de Clemente XI. expedido a 28 de Iulho de 1708. que se executou a 16 de Novembro de 1714. Ornou a Igreja do Convento de Lisboa com admiraveis pinturas, e a Livraria com grande copia de livros Iuridicos que foraõ do grande Iurisconsulto Antonio de Souza de Macedo Secretario de Estado delRey D. Affonso VI. Alem de ser profundo Theologo foy muito perito, e versado em a Historia Ecclesiastica, e Secular, e em ambos os Direitos Falleceo no Convento de S. Ioaõ da Pesqueira a 29 de Setembro de 1715. quando contava 71 annos de idade, e 52 de Religiaõ. Fazem mençaõ delle Carvalho Corog. Portug. Tom. 3. p. 500. e Fr. Ioan. à D. Ant. Bib. Francis.. Tom. 2. p. 182. col. 1. Publicou.

Sermaõ em a Canonizaçaõ do insigne Portuguez S. Ioaõ de Deos Patriarcha da Religiaõ da Hospitalidade em 23 de Iunho de 169 . dia setimo do solemne outavario que a mesma Religiaõ celebrou em Convento de Lisboa. Lisboa por Miguel Deslandes Impressor delRey. 1692 4.

Sermaõ da Solemnidade dos Reys na Capella Real. Lisboa pelo dito Impressor. 1695 4.

Chronica da Sagrada Ordem Terceira da Penitencia da Provincia de Portugal, e Algarves. M. S. fol. Esta obra que lhe tinha custado o disvelo de muitos annos se perdeo pela ignorancia de hum Frade Leygo que a reduzio a fragmentos da qual se lembra Carvalho Corog. Portug. no lugar assima allegado.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]