IOAÕ DA FONCECA. Sargento mór do Reyno do Algarve exercitando a arte militar com igual sciencia, que valor em diversos Reynos da Europa pelo largo espaço de trima, e tres annos. Restituido a Portugal no anno de 1573. tempo em que se faziaõ grandes preparaçoens para a expediçaõ de Africa, escreveo.

Dialogo, e Discurso militar entre Fonteo Soldado practico, e Lusitano bisonho sobre o Officio de Sargento mòr no qual (para que milhor, e como deve se entenda, e exercite) se conteem todas as dependencias, e circunstancias ao tal cargo concernentes. Trata-se asi mesmo da essencia de huma Companhia, Terço, e Campo formado com todos os Officiaes, que a estas duas partes, e universal corpo competem declarando as obrigaçoens de cada hum por si. Procedese na ordem com que marcha hum Terço, e pelo conseguinte hum exercito formado; o qual finalmente se aloja com todos os postos, e observancias ao tal effeito necessarias; e juntamente hum tratado dos casos, que na Infantaria Espagnola saõ de Castigo arbitrario, ou capital com a ordem, e declaraçaõ com que se procede nos ditos cazos assi em presidio, como em Campanha. Derigido ao Serenissimo, e invictissimo Principe, e Senhor nosso D. Sebastiaõ primeiro deste Nome pela Divina Clemencia Rey de Portugal, e dos Algarves. 4. M. S. Começa He o dezejo de saber taõ natural aos homens &c. M. S. Conservase o Original na Livraria do Excellentissimo Marquez de Valença.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]