D. IOAÕ ESTEVES DE AZAMBUJA em cuja Villa do Patriarchado de Lisboa, que tomou por appellido sahio à luz do mundo. Foy filho de Affonso Esteves de Azambuja Reposteiro mòr delRey D. Ioaõ o I. e seu Embaxador na Corte de Roma, e de sua mulher Maria Annes; suposto, que o Illustrissimo Cunha em o Cathalog. dos Bisp. do Porto cap. 23. lhe assina por Pay a Estevaõ Annes de Azambuja Capitaõ de huma Gale da Armada, que se perdeo em Sevilha a 13 de Iulho de 1381. e por Avò a Ioaõ Esteves de Azambuja Vassallo delRey D. Pedro I. Nos seus primeiros annos exercitou as armas com a mesma felicidade com que depois seguio as letras merecendo o declarado affecto delRey D. Ioaõ o I. de cujo talento confiava a dicisaõ dos mais graves negocios. Preferindo a vida Ecclesiastica à militar como estivesse instruido nas sciencias sagradas competiraõ entre si os lugares mais honorificos da Jerarchia Ecclesiastica qual devia nobilitarse com a sua grande Pessoa, pois sendo Conego da Cathedral de Evora, e de Coimbra, Prior da Igreja de Monçoens entre Douro, e Minho, e da Alcaçova em Santarem subio á dignidade Episcopal do Algarve em o anno de 1389. e passados dous annos foy assumpto à do Porto, que administrou sete donde depois de governar a Cadeira de Coimbra foy transferido no anno de 1402. para a Metropolitana de Lisboa. A todas estas illustres Espozas ornou com sumptuozas fabricas, e preciosos ornamentos promovendo zelosamente o culto divino, opondo-se intrepidamente aos violadores da immunidade Ecclesiastica, Vizitando pessoalmente as suas ovelhas para reforma dos custumes, e dispendendo copiosas esmolas para beneficio da pobreza. Duas vezes o vio a cabeça do mundo Embaxador delRey D. Ioaõ o I. e com este caracter assistio no Concilio de Pisa congregado em o anno de 1409. pelo Pontifice Gregorio XII. onde foy admirada a sua grande litteratura unida com summa madureza quando fluctuava a Náo da Igreja com hum calamitoso scisma. Acabado o Concilio passou a Jerusalem para vizitar os lugares sanctificados com o sangue do divino Redemptor. Restituido ao Reyno como igualmente crecesse em annos, que merecimentos para digno premio delles foy creado Cardial Presbitero do Titulo de S. Pedro ad Vincula a 6 de Iulho de 1411 . pela Santidade de Ioaõ XXIII. e querendo receber das maõs do Pontifice asinsignias de tal dignidade partio para a Curia onde experimentou affectuosas significaçoens do summo Pastor. Para dar hu claro argumento de seu generoso animo ornou em Bolonha com preciosos marmores o mausoleo em que descançaõ as cinzas illustres pelo sangue, e Santidade de S. Domingos Patriarcha da Ordem dos Pregadores, e em Roma edificou hum Mosteiro de Erimitas de S. Ieronimo. Ao voltar para a Patria enfermou gravemente na Cidade de Bruges do Condado de Flandes, e preparado com todos os Sacramentos falleceo piamente a 23 de Janeiro de 1415. Foy tresladado o seu Cadaver para o Convento do Salvador de Religiosas Dominicas, que elle fundara em Lisboa no anno de 1392. quando era Bispo do Porto, e depois dotou com rendas sendo Arcebispo de Lisboa. Collocado na Capella mór se lhe gravou o seguinte Epitafio.

Aqui jáz o muito honrado Senhor D. Ioaõ Esteves Arcebispo de Lisboa, e Cardial de Roma, baraõ sabedor, e virtuoso. Em Bolonha solemnisou a Sepultura de S. Domingos. Em Roma fundou o mosteiro de S. Hieronimo. Em Lisboa este em que se mandou sepultar.

Deste lugar foy transferido no anno de 1608. para o Coro das Religiosas onde agora permanece. Posto que o Convento do Salvador fundado pela piedade de taõ grande Prelado tivesse Estatutos por onde se governasse alcançou faculdade Pontificia para lhe fazer additamentos escrevendo.

Statuta Monasterii Sancti Salvatoris. Desta obra que consta de varios Capitulos, fez mençaõ o insigne Fr. Luiz de Souza Hist. de S. Domingos da Prov. de Portug. Part. 2. liv. 1. cap. 7. dizendo. Naõ he possivel especificar todos, mas por honra do author delles, e do valor das que os aceitaraõ para os manter, e cumprir daremos noticia de alguns.

Fazem memoria deste grande Prelado Macedo Lusit. Insul. p. 134. Cardos. Agiol. Lusit. Tom. 1. p. 227. e 233. no Commentar. de 23 de Ian. letr. C. Severim Notic. de Portug. Disc. 8. §. 6. Foncec. Evor. Glorios. p. 334. Souza de Macedo Flor. de Espan. Excellent. 3. cap. 23. Ciacon. Hist. Pontif. Roman. Tom. 2. col. mihi 798. Palat. Fasti Cardin. Tom. 2. col. 167. Souza Cathal. dos Sum. Pontif. E Card. p. 12. Leytaõ Cathal. dos Bisp. de Coimb. p. 126. §. 69. Sylva Mem. Hist. delRey D. Ioaõ o I. liv. 2. cap. 113.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]