V. Fr. IOAÕ CIRITA primeiro Abbade do Convento de S. Christovaõ de Lafoens, e o 3 do Convento de S. Ioaõ de Tarouca da Ordem Cisterciense. No tempo em que reynava em Leaõ D. Affonso VI. chamado Emperador de Espanha exercitou a vida militar, e como sahisse de huma batalha perigosamente ferido se retirou a Galiza para caza de hum Sacerdote de inculpavel procedimento onde recebeo igual medecina em o corpo, como na alma elegendo outra nova milicia com a qual triumfasse dos seus apetites. Por morte do seu director espiritual buscou para habitaçaõ a aspereza dos montes onde o inimigo comum lhe representava a licenciosa liberdade da vida passada, e lhe propunha os inconvenientes da que estava practicando, porèm armado da divina graça resistia à violencia destas sugestoens. Atrahido da virtude de dous Erimitas que viviaõ junto do rio Vouga buscou a sua companhia onde com outros discipulos do seu espirito faziaõ vida mais angelica, que humana. Deste sitio passou a fundar huma ermida na eminencia de hum monte para a parte do Norte cercado do rio Baroso onde constituido Abbade chegou a fama das suas virtudes ao Conde D. Henrique que entaõ dominava Portugal, o qual dezejando certificarse com os olhos do que tinha percebido pelos ouvidos o visitou com sinaes de grande afecto pedindolhe alcançasse de Deos hum filho para sucessor do Estado, que possuia. Seguroulhe o insigne Varaõ que brevemente seria despachada a sua suplica, e logo concebeo a Rainha D. Thereza ao valerozo Principe D. Affonso Henriques, que como seu Pay o venerou por depozito da santidade mais heroica. Avizado superiormente de que o Doutor Melifluo S. Bernardo mandava religiosos a Espanha para fundar Conventos da sua Ordem os conduzio de Lamego para Guimaraens Corte do Principe D. Affonso do qual alcançou faculdade para a fundaçaõ do Convento de S. Ioaõ de Tarouca sendo elle o primeiro que das maõs do Abbade Boemundo recebeo a cogulla Cisterciense no anno de Christo de 1123. E foy o primeiro noviço que esta Ordem Monachal teve neste Reyno. Impetrada licença do mesmo Principe, edificou outro Convento no lugar da Ermida que habitara, intitulado de S. Christovaõ de Lafoens do qual foy o primeiro Abbade. Em todo o tempo que governou o Convento de S. Ioaõ de Tarouca era na Oraçaõ continuo, na penitencia rigoroso, no silencio observantissimo, na abstinencia admiravel, e na charidade ardente. Atenuado com o numero dos annos, e muito mais com as penitencias se retirou ao Convento de S. Christovaõ de Lafoens onde viveo tres annos, e meyo no fim dos quais provada a sua paciencia com huma diuturna enfermidade, recebidos os Sacramentos com summa piedade postos os olhos em o Ceo pronunciando com voz intelligivel Laudate Dominum de caelis, laudate eum in excelsis entregou o espirito ao seu Criador a 23 de Dezembro do anno de Christo de 1164. Na sua sepultura se lhe gravou o seguinte epitafio. Ioannes Abbas Cirit.. rexit Monast. S. Ioannis, S. Christophori, Salzedae, S. Petri clarus vita, clarus meritis, clarus miraculus claret in Caelis. Obiit XI. Kalend. Ianuar. ICCII. Deste illustre Varaõ fazem honorifica memoria Fr. Bernardo de Brito Chron. de Cist. liv. 2. cap. 2. 5. e 6. liv. 5. cap. 14. e 15. Carol. Visch. Bib. Cisterc. Chrisost. Henriq. Monolog. Cisterc. p. 427. & in Fascicul. Sanct. Ord. Cisterc. lib. 1 . dist. 19. Purif. de vir. illust. Ord. D. Aug. liv. 2. cap. 3. e na Chron. de S. Agost. da Prov. de Portug. Part. 2. liv. 6. Tit. 3. §. 1. Camargo Chronol. Sacr. fol. 164. Nicol. Ant. Bib. Vet. Hisp. lib. 7. cap. 6. Manriq. Annal. Cisterc. ad an. 1119. cap. 3.n. 1. & ad ann. 1161. cap. 5. n. 4. & ad an n. 1164. cap.8. n. 2. Brandaõ Mon. Lusit. Part. 3. liv. 9. cap. 9. e liv. 11. cap. 5. D. Nicol. de S.Maria Chron. dos Coneg. Reg. liv. 4. cap. 4. n. 15 . Compoz.

Regula, & Statuta Ordinis Militaris Avisiensis. Começa. In nomine Sanctae, & individuae Trinitatis Patris, Filii, & Spiritus Sancti Deus unus, verus, & essentia inseparabilis. Nos Ioannes Cirita. &c. Foy escrita em Coimbra no anno de Christo de 1162. a qual traz por extenso Fr. Bernardo de Brito Chron. de Cister. liv. 5. cap. 312. e della fazem memoria Fr. Chrisost. Henriq. Menolog. Cisterc. p. 427. e Nicol. Ant. Bib. Vet. Hisp. lib. 7. cap. 6.

Carta escrita ao Abbade Boemundo assistente no Convento de Tarouca. Sahio impressa por Fr. Bernardo de Brito Chron. de Cist. liv. 2. cap. 3.

Carta aos Monges do Convento de Tarouca. Sahio na referida Chron. de Cist. liv. 3. cap. 15.

Carta a D. Mendo Abbade do Convento de S. Pedro das Aguias. Sahio na dita Chron. liv. 3. cap. 13.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]