Fr. IGNACIO XAVIER DO COUTO Naceo em a Cidade de Elvas da Provincia do Alentejo a 17 de Agosto de 1697. sendo filho do Doutor Lopo Gil do Couto Medico da Camara dos Serenissimos Monarchas D. Pedro II. e D. Ioaõ o V. e de D. Izabel Maria Jacome. Aprendidos os rudimentos Gramaticaes, e Filosofia em Lisboa partio para Castella, onde movido de superior impulso deixou o seculo, e no Convento da Santissima Trindade da Cidade de Marbella recebeo o habito a 6 de Ianeiro de 1716. e profesou solemnemente a 17 do dito mez do anno seguinte. Segunda vez ouvio Filosofia no Convento de Sevilha dictada pelo Mestre Fr. Hermenigildo de Leon, e Theologia pelo espaço de quatro annos no mesmo Convento onde foy Procurador Geral da sua Provincia no anno de 1729. Por especial ordem delRey Nosso Senhor se incorporou nesta Provincia de Portugal no anno de 1736. onde tem exercitado o ministerio de Pregador com aplauzo por ser ornado de juizo prespicaz, e memoria feliz. Desde os primeiros annos cultivou a Poezia com tanta cadencia, que as suas produçoens metricas testemunhaõ o

enthusiasmo da sua Musa das quais se fizeraõ publicas.

La Vida en transe mortal. Comedia.

El Odio del Amor. Comedia.

Sahiraõ ambas impressas em Castella, como tambem.

Metrica descripcion de la sumptuosissima publicacion de Cautivos, que el antiquissimo Real Convento de Santa Justa, y Rufina extra muros de Sevilla del celestial Orden de la Santissima Trinidad hizo en la nobilissima Ciudad de Sevilla en el año de 1725. Sendo impressa nesta Cidade naõ tem nome do lugar, nem author, e sómente diz Por un curioso Portuguez.

Dous Sonetos á morte da Serenissima Senhora Infanta D. Francisca. Sahiraõ na Collecçaõ segunda de Poesias a este funebre assumpto. Lisboa por Miguel Rodrigues. 1736. 4. a pag. 26. e 27.

Soneto a ElRey N. Senhor em a morte da Serenissima Senhora Infanta D. Francisca sua Irmãa, e hum Romance Heroico a este assumpto. Sahiraõ na Collecçaõ 3. das Poesias, que se fizeraõ à morte desta Senhora. Lisboa por Miguel Rodrigues. 1736. 4. a pag. 1. e 27.

Romance Heroico, que principia Agora Sacra Euterpe o plectro afina em aplauzo de Felix da Sylva Freyre em o seu Parnaso Festivo, e hum Soneto, que começa Esse Ceo de Bernardo Refulgente.

Soneto em aplauzo da Historia Romana traduzida de Francez na lingua Portugueza por Manoel Pereira da Costa. Lisboa por Antonio Isidoro da Fonceca. 1743. 8.

Soneto em louvor de Ioaõ Antonio Garrido. compondo Taboada Curiosa. Lisboa. 1743. 4.

Mare Marianum Elogio a Maria Santissima na Allegoria de mar, que consta de todo o genero de Versos. M. S.

Poezias varias Latinas fol. M. S.

Poezias varias Vulgares. fol. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]