D. IOANNA MARGARIDA DE CASTRO. Naceo em o anno de 1634. Na Quinta do sitio de N. Senhora da Luz distante huma legoa de Lisboa onde viviaõ seus illustres Pays Luiz Gomes da Mata Coronel, Fidalgo da Caza de sua Magestade, Correyo mòr do Reyno, e D. Violnte de Castro descendente da grande Caza dos Condes de Monsanto. Logo na primeira idade deu claros indicios do sublime engenho de que prodigamente a dotara natureza assim na agudeza das repostas, como na comprehensaõ das sciencias. Ornada de igual fermosura no corpo, que no espirito se distinguio com excesso entre as Senhoras que floreceraõ no seu tempo sendo aplaudida pelas pessoas da primeira Ierarchia assim na qualidade como na erudiçaõ que com gostoza usura pertendiaõ a sua discreta conversaçaõ. Repetidas vezes era vizitada pelo insigne P. Antonio Vieira Oraculo da eloquencia Ecclesiastica para ouvir a elegancia com que fallava, e a profundidade com que discorria. Recebeo particulares favores da Serenissima Senhora Princeza D. Izabel jurada herdeira deste Reyno, e filha do Augustissimo Rey D. Pedro II. dedicandolhe em retribuiçaõ de taõ declarado affecto grande parte das suas Poezias em que a fineza dos pensamentos competia com a magestade do assumpto. Ainda que foy pertendida de muitos Cavalheiros para espoza preferio com judiciosa eleyçaõ o celibato ao matrimonio deixando a sua posteridade eternizada nas suas obras que geradas pelo seu espirito sempre viviraõ izentas da jurisdiçaõ do tempo. Preparada com todos os Sacramentos partio da vida mortal para a eterna em 25 de Março de 1714. Iaz sepultada na Capella mòr do Convento de Santo Antonio da Cruz da pedra distante huma legoa de Lisboa de que he padroeira a sua Caza. Passados alguns annos se achou incorrupto o seu Cadaver quando foy dado à sepultura seu irmaõ Manoel de Souza Coutinho donde se infere a bemaventurança da sua alma. Compoz com sublime enthusiasmo. Poesias varias Portuguezas, e Castelhanas. Dellas fez huma Colleçaõ sua irmãa D. Maria Magdalena de Castro, e querendo seu sobrinho Luiz Vitorio de Souza Coutinho imprimillas as mandou ordenar em suas classes por Ioze Freyre de Monterroyo Mascarenhas bem conhecido por sua vasta erudiçaõ, e se espera que brevemente sahiraõ à luz publica, que merecem. O P. Antonio dos Reys Enthusiasm. Poet. n. 276. a louva com estas metricas vozes.

…………………. Magdala Sapphùs

Aemula flat lyricos inter non ultima Vates,

Et petit á Phaebo, jubeat sua carmina promi,

Quae dum luce frui licuit, nimis ubere vená

Ingenium totá Lysiá mirante profudit.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]