IERONIMO OSORIO Sobrinho do precedente filho de Bernardo da Fonceca Osorio Fidalgo da Caza Real, Provedor Geral do Estado da India, e de D. Luiza Lopes Pestana naceo em o anno de 1545. em a Cidade de Coulaõ situada na Costa do Malabar a tempo, que seu Pay era Capitaõ da sua Fortaleza, e naõ em Lisboa como com equivocaçaõ escreveo o Padre Fonceca Evora Glorios. pag. 407. Sendo irmaõ de Bernardo da Fonceca Osorio de quem se fez mencaõ em seu lugar, e de Joaõ Osorio da Fonceca Commendador de Minhoraes em a Ordem militar de Christo. Quando contava onze annos de idade partio para Portugal recomendado a tutela de seu Tio Paterno D. Ieronimo Osorio, e com a doutrina de taõ insigne Varaõ sahio versado na especulaçaõ das sciencias, como na practica das virtudes. Depois de aprender a lingua Latina em Coimbra em o Collegio das Artes sendo seu Mestre o Padre Manoel Pimenta hum dos mais Egregios Humanistas, e Poetas do seu tempo se aplicou ao estudo da Grega onde passou a penetrar com admiraçaõ dos seus condiscipulos as dificuldades da Filosofia Peripatetica. A modestia do semblante, a urbanidade do trato, a frequencia dos Sacramentos, e a charidade para com os pobres lhe conciliaraõ taõ geral veneraçaõ, que muitos Fidalgos ordenavaõ aos filhos, que estudavaõ em Coimbra, que frequentalsem a sua caza como Religiosa palestra de virtudes catholicas, e moraes. Ao tempo que cursava o quarto anno de Filosofia, foy provido por seu Tio, que já era Bispo do Algarve em o Arcediagado de Lagos, e como assistia no Palacio deste Illustrissimo Prelado o instruio com a ultima perfeiçaõ na lingua Grega. Segunda vez frequentou a Universidade de Coimbra para cultivar a Sagrada Theologia a cuja Faculdade aplicava a mayor parte do tempo reservando algumas horas para aprender a lingua Hebraica necessariamente previa para a intelligencia da Sagrada Escritura, que lhe ensinava D. Pedro Figueirò insigne professor deste Idioma, e illustre brazaõ dos Conegos Regrantes da Congregaçaõ de Santa Cruz. Recebidas as insignias doutoraes em a Faculdade Theologica a 26. de Iunho de 1580. voltou ao Algarve onde assistio com vigilante afecto à morte de seu Illustrissimo Tio. Sendo provido na Conesia Magistral da Cathedral de Evora a 3. de Fevereiro de 1582. exercitou as virtudes proprias de hum exemplar Ecclesiastico. Celebrava com summa piedade, e naõ menor atençaõ o Sacrificio da Missa todos os Domingos, e dias Santos. Socorria a todos os pobres principalmente àquelles, que o pejo lhe prendia as linguas para solicitar o seu remedio. Assistia com largos donativos aos estudantes, que mais se distinguiaõ no progresso das letras, concorria com todo o necessario para as Enfermarias dos Religiosos Franciscanos de Evora sendo participantes desta charitativa profusaõ os Carmelitas Descalsos, e as Religiosas do Convento do Calvario. Por ser inimigo jurado da ociosidade todo o tempo, que lhe restava das obrigaçoens do seu Cabbido o consumia na Composiçaõ das suas obras. Para imprimir as de seu grande Tio passou a Roma no anno de 1588. com Breve de Xisto V. onde a sua Caza era o Hospicio de todos os Portuguezes, que se valiaõ da sua proteçaõ para o feliz exito das suas pertençoens. Nesta famosa Corte mereceo naõ vulgares estimaçoens dos Emminentissimos Cardiaes Marco Antonio Colona, D. Pedro Deça, e Gabriel Paleoto, e ainda, que conhecia inclinada a authoridade destes Principes para os seus augmentos, superior a toda a ambiçaõ nunca pertendeo mayor lugar do que possuia. Naõ somente com a voz, mas com a penna defendeo eruditamente na presença do Cardial Guilherme Alano algumas contradiçoens armadas contra a impressaõ das obras de seu Illustrissimo Tio, triunfando com tanta gloria dos seus emulos, que confusos se arrependeraõ de serem instrumentos do aplauzo, que alcançara. Restituido a Evora alcançou faculdade delRey para renunciar com pensaõ o Canonicato obrigado das molestias, que padecia, cuja renuncia fez a 6 de Fevereiro de 1599. em o Doutor Sebastiaõ da Costa. Era taõ escrupulozo, que tinha hum caderno intitulado Conciencia em que assentava as faltas das Horas Canonicas para restituir ainda no tempo em que os Medicos o dispensavaõ do Coro convalecendo de gravissimas doenças. De todos os Beneficios Ecclesiasticos, que obteve sempre separava a terceira parte para os pobres. Depois de renunciar o Canonicato partio para Galliza a vizitar a sepultura do Apostolo S. Tiago, e voltando buscou para sua habitaçaõ o Serafico Convento do Varatojo, onde passava o tempo orando, e compondo até que por causas urgentes passou a Lisboa, morando no Campo de Santa Clara era a sua Caza procurada dos pobres para remedio; e de muitos graves Religiosos para a doutrina consultando-o nas mayores dificuldades da Theologia Escholastica, e Positiva. Deixou a sua Livraria aos Religiosos Franciscanos do Convento de Xabregas, e pedindo ao Guardiaõ a collocasse no Convento em quanto vivia, se naõ executou. Provada a sua paciencia com huma infermidade, que se extendeo pelo espaço de hum anno mandou chamar de Evora a seu Irmaõ Bernardo da Fonceca o qual chegando à sua prezença a 11 de Janeiro de 1611. lhe disse, que o naõ mandara chamar com mayor anticipaçaõ porq em Fevereiro certamente partia para a eternidade, e lhe entregou dous sacos de dinheiro para distribuir pelos necessitados. Recebidos todos os Sacramentos com catholica ternura, e assistido dos Religiosos Franciscanos a quem encomendara o naõ desemparassem até o ultimo instante, postos os olhos em Christo Crucificado espirou placidamente em quarta feira de Cinza 16 de Fevereiro de 1611. em idade de 66 annos, e foy sepultado no Convento de Xabregas. Fazem honorifica mençaõ do seu nome Nicol. Ant. Bib. Hisp. Tom. 1. pag. 450. col. 2. Joan. Soar. de Brito Theatr. Lusit. Liter. lit. H. n. 24. le Long. Bib. Sacr. pag. mihi 888. col. 1. D. Nicol. de Santa Mar. Chron. dos Con. Reg. liv. 11. cap. 10. n. 10. Gaspar Estaço Antiguid. de Portug. cap. 94. n. 10. Taxand. Cathalog. Clar. Hisp. Script. Teissier Elog. Des Hommes Savans. Tom. 3. pag. 192. Niceron Memoir. des Homm. Illustr. Tom. 11. pag. 210. Compoz.

Hyeronimi Osorii vita. Sahio impressa no principio das obras deste Illustrissimo Prelado publicadas por sua industria em Roma, como assima escrevemos a qual diz Possevino Apparat. Sacer. pag. 743. dignam quae legatur, e o P. Scoto Hisp. Bib. pag. 532. luculente, ac diserte conscripta. Notationes in Hyeronimi Osorii paraphrasim Psalmorum as quais louva de muito eruditas Monsiur Dupin Hist. des Autheurs Eccles. du .seizieme siecle pag. mihi 419. Sahiraõ no Tom. 3. das obras de seu Tio impressas em Roma apud Bartholamaeum Bonfadini. 1592. fol. a pag. 530. até 655.

Paraphrasis, & Commentaria in Ecclesiasten nunc primùm edita, & paraphrasis in Cant. Canticor. & in ipsam recens auctae notationes. Romae ex Typographia Gabiana. 1592. 4. Petro Decio Cardinali dicata, & Lugduni apud Horatium Cardon. 1611. 4. A parafrase sobre os Cantares sahio no Tom. 3. Das obras de seu Tio impressas em Roma a p. 1014. até 1083. nas quais saõ produçoens suas as Dedicatorias a Filippe Prudente, Gregorio XIII. Marco Antonio Colona, Gabriel Paleoto, e Pedro Decio Cardiaes da Igreja Romana.

Memorial da Origem, e titulo dos Conegos, e da qualidade das suas Rendas. Dedicado ao Cabbido da Cathedral de Evora a 7 de Agosto de 1602. M. S. Começa. Em os tres annos, e quasi tres meses da sua peregrinaçaõ foy Christo modello. &c. Desta obra faz mençaõ Nicolao de Santa Maria Chron. dos Coneg. Regrant. liv. 5. cap. 9. n. 3. e 4. e liv. 11. cap. 10. n. 10.

Cathalogo dos Bispos, e Arcebispos de Evora. M. S. Gaspar Estaço Antiguid. de Portug. cap. 94. n. 10. faz memoria desta obra, como de seu Author nesta forma. Jeronimo Osorio Conego de Evora, a quem a virtude da sua Pessoa, e a erudiçaõ das suas obras fizerão conhecido, e juntamente benemerito da Igreja daquella Cidade pelo Cathalogo dos Bispos, que della escreveo.

De displicentia rerum humanarum. Estava concluindo esta obra no anno de 1609. e prompta para a mandar imprimir em Leaõ de França por Horacio Cardon. Da Obrigaçaõ que os filhos tem aos Pays. Derigida a D. Brites de Souza filha de Anna de Souza sua Prima. M. S.

Notationes in Evangelia. M. S. Estas duas obras conservava Bernardo da Fonceca Osorio irmaõ do Author. De Potestate Papae. M. S.

Parecer a cerca dos Christaõs novos escrito no anno de 1591. à instancia do Cardial Paleoto. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]