Fr. IERONIMO DE BELEM Naceo na Villa dos Arcos de Valdeves do Arcebispado de Braga a 30 de Setembro de 1692. sendo filho de Bento de Araujo, e Paschoa Cerqueira. Estudou os primeiros rudimentos em Lisboa, e Filosofia em o Convento dos Religiosos Dominicos Irlandezes da mesma Cidade donde passando à de Evora recebeo o Serafico habito de S. Francisco em o primeiro de Março de 1715. Depois de frequentar com credito do seu talento as sciencias Escholasticas, e conhecendo os superiores o engenho, que tinha para o ministerio do pulpito lhe deraõ patente de Pregador a 4 de Mayo de 1726. Recusou algumas Prelazias por ser a sua mayor ambiçaõ de obedecer, do que mandar, e unicamente aceitou em o anno de 1736. o laborioso lugar de Comissario da Ordem Terceira, que louvavelmente exercitou pelo espaço. de dous annos no qual teve a gloria de se concluir a sumptuosa Igreja dedicada ao Menino Deos onde se fazem com grande perfeiçaõ os exercicios espirituaes da mesma Veneravel Ordem Terceira. Ao seu devoto zelo se deve a instituiçaõ da Irmandade do Coraçaõ de JESUS em o Convento de Santa Maria de Xabregas da qual por sua direçaõ se foraõ instituindo outras pelo Reyno com grande utilidade das almas virtuosas sendo a principal a que se erigio no lugar da Lagoa do Reyno do Algarve na Ermida de S. Iozeph, que hoje he Recolhimento de Donzellas, que vestem de roxo com escapulario encarnado, e nelle bordados os Santissimos Coraçoens de IESUS, e Maria recebendo os habitos a 26 de Iulho de 1743. da maõ do Excellentissimo, e Reverendissimo D. Ignacio de Santa Thereza Bispo do Algarve a cuja jurisdiçaõ pertencem. He Pregador Iubilado, Missionario Apostolico, Penitenciario Geral da Ordem Serafica, Consultor da Bulla da Cruzada, Examinador das Tres Ordens Militares, e Bibliothecario do Convento de Xabregas. Da sua continua aplicaçaõ tem publicado estes devotos frutos.

Coraçaõ de IESUS communicado aos Coraçoens dos Fieis. Noticia, e principio desta Santissima devoçaõ. Lisboa por Mauricio Vicente de Almeyda. 1731. 8.

Vida da Ven. Madre Margarida Maria Alacoque da Ordem da Visitaçaõ a quem Christo Senhor Nosso revelou o culto, e veneraçaõ de seu Coraçaõ Santissimo. Lisboa pelo dito Impressor. 8.

Coroa Serafica, e deprecativa do Santissimo Coraçaõ de Maria. Lisboa por Pedro Ferreira. 1731. 12.

Excellencias da mulher forte Novena panegyrica de Santa Anna. Lisboa por Bernardo Fernandes Gayo. 1733. 8. sem o nome do Author.

Compromisso da Confraria do Santissimo Coraçaõ de JESUS sita no Convento de S. Francisco de Xabregas. Lisboa na Officina Ioaquiniana da Musica. 1734. fol.

Devoto da Conceiçaõ, Coroa revelada por Maria Santissima ao Ven. Padre Fr. Simaõ de Roxas da Ordem da Santissima Trindade advogado das mulheres de parto com a noticia da sua vida. Lisboa na Officina Rita-Cassiana. 1735. 12.

Palestra da Penitencia. Origem, Graças, indulgencias, privilegios da Terceira Ordem Serafica, obra utilissima para todos os Veneraveis filhos das Terceiras Ordens, e mais Catholicos. Com a noticia da milagroza Imagem do Menino Deos; da vida do Padre Fr. Thome de Santo Antonio filho da Santa Recoleiçaõ; e da Madre Cecilia Maria de Jesus Veneravel Preta &c. Lisboa por Antonio Isidoro da Fonceca. 1736. 8.

Saudaçoens Angelicas aos Santissimos Coraçoens de JESUS Maria, e Jozè. Lisboa por Bernardo Fernandes. Gayo. 1738. 12.

Regra, e Estatutos novissimos da Veneravel Ordem Terceira da Penitencia no idioma Portuguez. Lisboa por Pedro Ferreira. 1739. 8.

Acontico Serafico. Appendix á Palestra da Penitencia, reposta apologetica ao author do Epitome Carmelitano sobre a liçaõ primeira, e outava da mesma Palestra. Lisboa por Pedro Ferreira. 1740. 8.

Escada Mystica dividida em nove degraos para a Novena do Santissimo Coraçaõ de JESUS extrahida do livro Coraçaõ de JESUS, e segunda vez impressa com as indulgencias concedidas a este, e a outros santos exercicios, de que trata. Lisboa na Officina Ioaquiniana. 1740. 12.

Coroa Serafica, e deprecativa do Santissimo Coraçaõ de JESUS segunda vez impressa com as indulgencias concedidas a este devotissimo exercicio. Lisboa na mesma officina. 1741. 8.

Cruz Serafica, e Franciscana decifrada pelas letras do nome Francisco para a Novena das Chagas do Serafico Patriarcha. 12. Vida justificada, morte preciosa, virtudes, e milagres do Padre Fr. Jozè de Santa Anna filho da Santa Provincia dos Algarves da regular observancia de N. Padre S. Francisco. Lisboa por Miguel Manescal da Costa. 1743. 8.

 

Obras M. S.

 

Officium proprium Sanctissimi Cordis Jesu pro feria sexta post diem Octavum Corporis Christi. Está composto com grande propriedade ao argumento da Festividade assim em as Antifonas, Responsorios, como em as Liçoens, e Missa.

Parecer em que se mostra ser licito o festejo, que na Villa de Sines se faz a S. Marcos com o Touro, e se responde às opinioens contrarias explicando a Bulla de Clemente VIII.

Parecer sobre o distrate de huma terra pertencente a certo Mosteiro de Religiosas.

Apologia satisfatoria, e defensiva da validade do Santo Jubileo da Porciuncula na Igreja do Menino de Deos nesta Corte contra o sentir dos menos pios por ocaziaõ de huma declaraçaõ da Sé Apostolica, que publicada pelo Provizor do Arcebispo de Lisboa, a revogou &c.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]