D. IAYME DE MELLO terceiro Duque do Cadaval, quinto Marquez de Ferreira, e sexto Conde de Tentugal naceo em a Cidade de Lisboa no primeiro de Setembro de 1684. sendo sexta produçaõ do clarissimo thalamo de D. Nuno Alvares Pereira de Mello primeiro Duque do Cadaval quarto Marquez de Ferreira quinto Conde de Tentugal do Conselho de Estado, e guerra dos Serenissimos Monarchas D. Affonso VI. D. Pedro II. e D. Joaõ V. e de sua terceira consorte D. Margarida Armanda de Lorena filha de Luiz de Lorena Conde de Harcourt, e de Armagnac Par, e Estribeiro mór de França, e de Catherina de Neufuille Duque de Villaroy Par, e Marichal de França, e de Magdalena de Crequy filha de Carlos de Crequy Principe do Poyx, Duque de Lesdiguieres Par, e Marichal de França. Ornado de virtudes heroicas derivadas da sua coroada ascendencia emendou a injustiça com que a natureza lhe negou a primogenitura da grande Caza do Cadaval dispondo a Providencia, que fosse seu herdeiro para a illustrar com tymbres mais gloriosos. Tanta foy a madureza do juizo que descubrio na verdura da primeira idade, que ainda naõ contava completos vinte annos quando ElRey D. Pedro o II. O nomeou Conselheiro de Estado. Esta prudencia anticipada o habilitou para exercitar os honorificos lugares de Estribeiro mór delRey D. Joaõ o V. em que foy provido no anno de 1713. de Presidente do Tribunal da Meza da Conciencia, e Ordens em anno de 1715 . onde pelo espaço de vinte annos continuos a independencia unida com a afabilidade o constituhiraõ exemplar de hum perfeito Ministro; e de Mordomo mór da Serenissima Raynha D. Mariana de Austria nomeado a 13 de Fevereiro de 1739. Em todas as Artes dignas de hum Cavalhero se distinguio com excesso, pois dotado de estatura agigantada, gentil prezença, forças robustas joga com primor as armas, exercita a montaria, e volataria com igual impulso na lança, que na espingarda; manda os cavallos com tanta sciencia, que os mesmos brutos milhoraõ de instinto obedecendo à maõ da sua redea para cujo nobre exercicio edificou com igual dispendio, que magnificencia huma Picaria cuberta em a sua caza de Campo de Pedrouços distante huma legoa de Lisboa, que he frequentada todas as semanas pelos professores de taõ illustre Arte. Como fiel imitador das virtudes de seu grande Pay he summamente compassivo para os pobres, e Communidades Religiosas, que quotidianamente experimentaõ os generosos efeitos da sua charitativa liberalidade como tambem a particular estimaçaõ, que faz das Pessoas eruditas de cuja comunicaçaõ se deleite o seu genio sempre ambicioso de noticias. Sucedendo a intempestiva morte do seu irmaõ o Duque D. Luiz Ambrosio de Mello a 13 de Novembro de 1700. cazou com sua Cunhada a Senhora D. Luiza filha delRey D. Pedro o II. para cujo matrimonio foy dispensado pela Santidade de Clemente XI. a 13. de Novembro de 1701. e morrendo esta Senhora a 23 de Dezembro de 1732. sem deixar sucessaõ passou a segundas Vodas com Madamoiselle de Braine Henriqueta Julia Gabriela de Lorena filha de seu Primo com irmaõ Luiz de Lorena Principe de Lambesch Conde de Orgon, e Marquez de Coislin, e da Princeza D. Joanna Henrique de Durfort filha de Jaquez Henrique de Durfort Duque de Duràz com a qual se recebeo a 2 de Mayo de 1739. de cujo augusto consorcio saõ generosos frutos D. Nuno Caetano Alvares Pereira de Mello, que naceo a 17 de Novembro de 1741. D. Joanna Caetana nacida a 9 de Setembro de 1743. que morreo a 20 de Setembro de 1745. e a D. Margarida Caetana de Lorena nacida a 15 de Junho de 1745. Para eternizar a memoria de seu grande Pay escreveo com estilo claro, e sincero.

Ultimas Acçoens do Duque D. Nuno Alvares Pereira de Mello desde 2 de Setembro de 1725. até 29. de Janeiro de 1727. em que falleceo; Relaçaõ do seu enterro, e das Exequias, que se Ihe fizeraõ em Lisboa, e nas terras de que era donatario. Lisboa na Officina da Musica. 1730. fol. grande. Este livro pela magestoza forma com que foy impresso he huma evidente demonstraçaõ do generoso, e magnifico espirito de seu Author onde se admiraõ a grandeza da forma, a perfeiçaõ do caracter, e a copia de estampas dibuxadas, e abertas por Monsiur Quilhard insigne Pintor do nosso Serenissimo Monarcha. Tem escrito com todo o exame, e individuaçaõ.

Memorias Historicas da Fundaçaõ do Real Convento de N. Senhora, e Santo Antonio da Villa de Mafra. M. S. fol.

Memorias Historicas da Jornada, que suas Magestades fizeraõ ao Rio Caya no anno de 1729. para se fazerem as trocas das Princezas do Brazil, e Asturias. M. S. fol. Huma, e outra obra escrita em elegante letra se conservaõ no Gabinete dosseus M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]