Fr. IACINTO DA CONCEYÇAM natural de Lisboa devendo à vigilante educaçaõ de seus illustres progenitores Manoel Freyre de Andrade Governador de Elvas, e Peniche, e das Comarcas de Leyria, e Torres Vedras, e D. Ioanna de Brito os admiraveis progressos, que fez o seu agudo engenho em as sciencias amenas. Deixando com heroica resoluçaõ as delicias da caza paterna abraçou os rigores do  claustro vestindo o penitente Sayal do Serafim dos Patriarchas em a Provincia de Portugal onde dictou Filosofia no anno de 1680. em o Convento de Santarem merecendo para eterno brazaõ do seu magisterio, que fosse seu discipulo o Excellentissimo Conde da Ericeira D. Francisco Xavier de Menezes precioso erario da erudiçaõ sagrada, e profana. Com singular aplauzo explicou Theologia no anno de 1683. em Lisboa, e Coimbra sendo mayor o que conciliou em o pulpito pela eloquente expressaõ dos conceitos, e discreta afluencia de palavras, herdadas do Floro Portuguez Iacinto Freyre de Andrada seu Tio paterno arrebatando a todas as pessoas insignes assim em o esplendor do nacimento como em a profundidade da sciencia, que lhe formavaõ o auditorio. Foy favorecido das Musas, cujo comercio nunca interrompeo ainda no estado de religioso practicando com decoro as leys da Poesia. Teve vasta noticia da Historia, e da Genealogia das Familias Portuguezas. Foy Examinador das Tres Ordens Militares, Definidor da Provincia, Guardiaõ do Collegio de Coimbra, e Confessor das Religiosas do Real Convento de Santa Clara desta Corte. Falleceo mais cheyo de merecimentos do que annos no Convento de S. Francisco da Cidade em o anno de 1711. Alem do Curso Filosofico, e varias Materias Theologicas, que compoz dignas da luz publica deixou.

Sermoens varios. 4. M. S.

Delles como escreve Fr. Fernando da Soledade Hist. Seraf. da Prov. de Portug. Part. 3. lib. 1. cap. 21. se imprimio hum naõ declarando o seu argumento, nem o lugar da impressaõ, nem o nome do impressor.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]