D. GONÇALO PINHEYRO natural da Villa de Setubal filho de Joaõ Pires, e Leonor Rodrigues Pinheiro neto pela parte paterna de Affonso Fernandes Secretario da Raynha D. Filippa mulher delRey D. Ioaõ o I. e pela materna de Gonçalo Rodrigues Cavalleiro delRey D. Ioaõ o II. Aprendeo a sciencia dos sagrados Canones em a Universidade de Lisboa donde passando à de Salamanca alcançou taõ grande nome de letrado, que antes de ter o grao de Doutor foy admetido por Collegial do celebre Collegio de S. Bartholameu. Tanto, que se restituhio à Patria obteve alguns beneficios em que o apresentou o Serenissimo Duque de Bragança D. Jayme, e oppondo-se a huma Conezia de Evora a levou por premio da vitoria alcançada de seus competidores da qual tomou posse a 18 de Junho de 1533. Que depois renunciou em seu sobrinho Diogo Mendes de Vasconcellos com approvaçaõ do Arcebispo, e Cabbido. Atendendo a Magestade delRey D. Ioaõ o III. à summa capacidade de que era ornado o nomeou seu Dezembargador, e Bispo de Safim. Neste tempo se alterou huma grande contenda entre a nossa Naçaõ, e a Franceza sobre algumas prezas, que se tinhaõ feito de parte a parte, e para compor esta discordia foy mandado pelo mesmo Principe a Bayona cuja negociaçaõ concluyo com igual prudencia, que actividade. Nesta Cidade foy rogado pelo Cabbido, que por estar ausente o seu Bispo aceitasse o governo daquella Diocese a cuja suplica naõ pode resistir pelas repetidas instancias dos Capitulares exercitando esta incumbencia, como do seu talento se esperava. Sendo eleito Bispo de Tangere recebeo em Medina del Campo huma Carta delRey D. Ioaõ o III. em o anno de 1543. em que o nomeava seu Embaxador à Corte de França onde recebeo de Francisco primeiro, e seu filho Henrique as mais distintas significaçoens de estimaçaõ. Voltando ao Reyno ocupou em remuneraçaõ de seus serviços o lugar de Dezembargador do Paço por carta feita em Lisboa a 14. de Novembro de 1548. donde foy assumpto ao Bispado de Viseu em cuja Cathedral entrou no anno de 1553. Exercitou como vigilante Pastor as obrigaçoens do seu Estado reformando custumes, extinguindo abuzos, dispendendo esmolas, e reedificando Igrejas. Com geral sentimento das suas ovelhas o arrebatou a morte em o mez de Novembro de 1567. quando contava 77. de idade. Foy sepultado em sepultura reza na Capella mór da sua Cathedral onde debaixo do escudo das suas armas se lhe gravou o seguinte Epitafio.

Aqui jaz D. Gonçalo Pinheiro Bispo de Viseu do Conselho delRey N. S. 1569.

Foy muito intelligente nas linguas Grega, e Hebraica, aprendendo a primeira em Bayona, e a segunda em Pariz como tambem na Astronomia, Geometria, e outras Artes Liberaes. A sua vida escreveo elegantemente na lingua Latina Diogo Mendes de Vasconcellos seu sobrinho materno cujo caracter descreveo com estas eloquentes vozes. Staturá fuit procera, &recta, corpore aliquantulùm obeso, sed agili, & compacto, atque omnium membrorum aequa proportione conspicuo, latis humeris, extenso pectore, firmis lateribus, nec non brachiis, cruribus, manibus, pedibusque quam insta vi, ac venusto motu decentibus. Jam vero in vultu, orisque lineamentis tanta inerat gravitas branda quadam lenitate, & hilaritate condita, ut omner quantumvis extraneos, & ignotos ad se amandum, suspiciendumque solo aspectu alliceret. Oculi pro modo capitis, & faciei aliquantulùm exigui, sed vividi, & praefulgentes. Veneranda omnino, atque etiam in maxima hominum turba conspicua, et decora facies, cuique canities plurimùm auctoritatis adderet. Do seu nome fazem illustre memoria Ioan. Soar. de Brito Theatr. Lusit. Liter. lit. G. n. 21. singulari prudentia insgnis. Franc. de Santa MariaChron. dos Coneg. Secul. liv. 3. cap. 13. em virtudes, sangue, e letras naõ foy segundo a nenhum do seu tempo. De Portug. Regn. Comment. p. 367. e o Reverendo Padre Ioaõ Col Cathalog. dos Bisp. de Viseu. §. 53. No Synodo, que celebrou poucos mezes passado da sua entrada no Bispado promulgou varios Decretos assim para a administraçaõ dos Sacramentos como para reforma dos Ecclesiasticos, e considerando estarem pela diuturnidade do tempo sem observancia as Constituiçoens, que tinhaõ feito seus Predecessores as reduzio a milhor forma, e as publicou com este titulo.

Constituiçoens do Bispado de Viseu.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]