D. IOAÕ PECULIAR. Naceo em a Cidade de Coimbra onde foraõ seus Progenitores Christovaõ Ioaõ, e D. Maria Rabaldis Senhora da Villa de Mortede sendo o segundo na ordem do nacimento entre sinco filhos que tiveraõ. Aprendeo as sciencias amenas na patria, e as severas em a Universidade de Pariz donde voltando com igual fama de letrado, que virtuozo edificou na Villa de Lafoens hum Oratorio no qual recolhido com alguns sacerdotes practicava os exercicios da vida religiosa. Deste lugar foy assumpto para Mestre Eschola da Cathedral de Coimbra, e como nella fosse Arcediago o V. D. Tello, e dezejasse com ardente zelo restituir à sua primitiva observancia o instituto dos Conegos Regulares de S. Agostinho partio com elle a Roma onde experimentaraõ taõ propicia a vontade de Innocencio II. Para taõ santo intento, que alcançados muitos privilegios, e indultos da benignidade Pontificia para o Real Convento de S. Cruz de Coimbra voltaraõ da Curia no fim do mez de Iunho de 1135. e derigindo a jornada para o Mosteiro de S. Rufo em o Delfinado onde exactamente se observava o instituto Canonico Augustiniano, delle trouxeraõ o Cerimonial, e Ritual que se haviaõ uzar em o Convento de S. Cruz. Restituido a Portugal foy eleyto Bispo do Porto em o anno de 1136. de cuja Cathedral passou à Primacial de Braga em o anno de 1139. e para receber o Pallio partio segunda vez a Roma recebendo-o da maõ de Innocencio II. que certificado da sua grande literatura lhe ordenou assistisse ao Concilio Lateranense II. que naquelle tempo se celebrava. Neste veneravel Congresso contrahio amizade com o Mellifluo Doutor S. Bernardo que continuou com diversas cartas, que lhe escreveo. Voltando desta jornada foy recebido em Braga com as mayores demonstraçoens de jubilo experimentando suas ovelhas com a doutrina remedio para as almas, e com as esmolas socorro para os corpos. Entre as acçoens que fez dignas de memoria, foy coroar ao nosso primeiro Monarcha D. Affonso Henriques em as Cortes celebradas em Lamego, assistir à Conquista de Lisboa no anno de 1147. e sagrar o primeiro Bispo desta famoza Cidade que logo o reconheceo por Prirmaz de Espanha. Cumulado de obras virtuosas, e cheyo de annos que excediaõ o numero de cem passou desta vida caduca para a eterna a s de Dezembro de 1175. Iaz sepultado na Cathedral de Braga que governou pelo largo espaço de 36 annos. Escreveo

Epistolae variae ad Bernardum Abbatem Claravallensem. Fallando destas Cartas o Illustrissimo Cunha Hist. Eccles. de Braga Part. 2. cap. 14. n. 4. Entre as Cartas impressas do Santo se naõ achaõ as do Arcebispo D. Ioaõ, culpa das que as ajuntaraõ para a estampa porque avia algumas que vio, e leyo o P. Fr. Luiz dos Anjos Chronista dos Padres Erimitas de Santo Agostinho como o deixou escrito em huma memoria que está em nosso poder.

Fazem honorifica, e larga memoria deste grande Prelado o Illustrissimo Cunha no lugar assima allegado, e na Hist. Eccles. de Lisboa. Part. 2. cap. 1. D. Nicol. de S. Maria Chron. dos Coneg. Reg. liv. 11. cap. 4. Fr. Antonio da Purif. De Vir. illustrib. Ord. Erimit. D. Aug. lib. 1. cap. 17. e na Chronol. Monast. p. 113. Cardozo Agiol. Lusit. Tom. 3 . p. 310. col. 1.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]