D. IOZÉ MIGUEL IOAM DE PORTUGAL nono Conde do Vimioso, e Deputado da Iunta dos Tres Estados filho dos Excellentissimos Marquezes de Valença D. Francisco de Portugal, e D. Francisca Roza de Menezes filha de Manoel Telles da Sylva I. Marquez de Alegrete, e D. Luiza Coutinho, naceo em a famosa Cidade de Lisboa a 27 de Dezembro de 1706. para immortal brazaõ da sua coroada ascendencia. Nos primeiros crepusculos da idade brilharaõ com tal intençaõ as luzes do seu talento, que para comprehender as sciencias teve a natureza por Mestra. Instruido nos preceitos da Gramatica Latina, Tropos da Rhetorica, e primores da Poetica, assim como na liçaõ da Historia Ecclesiastica, e Secular produzio frutos sazonados na Primavera dos annos ou fosse metrificando na lingua Latina, ou materna em que a agudeza dos Epigramas competia com a elegancia dos Sonetos, ou fosse escrevendo Elogios, e recitando Oraçoens em que se constituhio Principe da eloquencia Portugueza pela pureza da fraze, sublimidade do estilo, e novidade da idea. Com taõ singulares dotes illustrou a Real Academia da Historia confirmando de justificada a eleyçaõ que se fizera da sua pessoa com a Oraçaõ gratulatoria que recitou aos Collegas de taõ erudita sociedade. Mayores virtudes enobrecem o seu espirito, que as sciencias com que se orna o seu entendimento sendo amante da verdade, inimigo da lizonja, modesto nas açoens, urbano no trato, erudito na conversaçaõ, e na conciencia timorato. Cazou a 24 de Outubro de 1728. com D. Luiza de Lorena filha do seu Primo com irmaõ Manoel Tellez da Sylva III. Marquez de Alegrete, e da Marqueza D. Eugenia de Lorena filha de Nuno Alvres Pereira de Mello I. Duque do Cadaval, e da Duqueza Margarida Armanda de Lorena sua terceira mulher, de cujo consorcio tem havido copiosa descendencia.

Compoz

Epigrammatum liber unus. Ulyssipone apud Michaelem Rodriguez 1732. 8.

Vida do Infante D. Luiz. Lisboa por Antonio Isidoro da Fonceca. 1735.4.

Practica com que congratulou a Academia Real por estar eleito seu Collega. Lisboa por Iozé Antonio da Sylva. 1731. fol. Sahio no Tom. 11. da Collec. dos Docum. da Acad. Real.

Quatro Epigrammas Latinos em aplauzo do Excellentissimo Duque de Cadaval D. Iayme de Mello escrevendo as ultimas Acçoens de seu Excellentissimo Pay. Lisboa na Officina da Musica. 1730. fol. Sahiraõ ao principio deste livro.

Dous Sonetos Portuguezes, e hum Epigrama Latino à morte da Serenissima Senhora Infanta D. Francisca. Lisboa por Antonio Isidoro da Fonceca. 1736. 4. Sahiraõ nos Acent. Saudos. das Musas a este Assumpto

Dous Epigramas Latinos em aplauzo dos Epigramas do Padre D. Luiz Caetano de Lima. Ulyssipone apud Iozephum Antonium da Sylva 1730. 8.

Soneto a Santa Thereza sahindo dos Carmelitas observantes para fazer a Reforma. Sahio no 2. Tomo do Jardim Carmelitano novamente cultivado por Fr. Estevaõ de Santo Angelo a pag. 419. Lisboa por Iozè Antonio da Sylva 1741. fol.

Parabem ao Illustrissimo, e Excellentissimo Senhor Duque do Cadaval pela ocasiaõ do seu Cazamento. 4. Naõ tem lugar da Impressaõ.

Carta, Epigramma Latino, e Soneto Portuguez em aplauzo do Author da Bibliotheca Lusitana. Sahiraõ ao principio desta obra. Lisboa por Antonio Isidoro da Fonceca. 1741. fol.

Instruçaõ dada a seu filho D. Francisco Iozé Miguel de Portugal fundada nas açoens moraes, politicas, e militares dos Condes do Vimioso seus ascendentes. Lisboa por Miguel Rodrigues Impressor do Emminentissimo Senhor Cardial Patriarcha 1741. 8.

Instruçaõ dada a seu filho segundo D. Manoel Iozé de Portugal fundada nas acçoens Christaàs, moraes, e politicas dos Ecclesiasticos, que teve a sua Familia. Ibi pelo dito Impressor 1744. 8.

Oraçaõ ao Principe Nosso Senhor pelo feliz nacimento da Serenissima Senhora Infanta quarta filha de Sua Alteza. 4. Naõ tem lugar nem anno da Impressaõ sendo em o de 1746.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]