D. Fr. IOZÉ DE OLIVEYRA. Naceo na celebre Villa de Guimaraens do Arcebispado de Braga a 4 de Fevereiro de 1638. Foy virtuosamente educado por seus Pays Antonio Alvares, e Izabel Antunes de que foy feliz consequencia deixar o seculo na idade de desaseis annos e abraçar o sagrado instituto dos Erimitas de Santo Agostinho que professou no Real Convento da Graça a 5 de Ianeiro de 1654. Em toda a carreira dos estudos escholasticos foy envejado dos condiscipulos, e admirado dos Mestres o seu talento pela subtil comprehensaõ com que penetrava as mayores dificuldades. Laureado com a borla doutoral pela Universidade de Coimbra a 28 de Iunho de 1671. foy nella Conductario com privilegios de Lente a 19 de Outubro de 1684. e hum dos mais doutos Qualificadores do Santo Officio. No ministerio do pulpito levou a palma aos mayores Oradores Evangelicos do seu tempo como testemunharaõ os mais eruditos auditorios que estavaõ pendentes da subtileza dos seus discursos illustrados com os textos de hum, e outro Testamento e Sentenças dos Santos Padres, e Sagrados Expozitores. Ornavase esta profunda literatura com modestia religiosa, vida irreprehensivel, genio humilde, e afabilidade summa cujos dotes lhe serviraõ de memoriaes para que a Magestade delRey D. Pedro II. o nomeasse Bispo de Angola, e sendo sagrado nesta dignidade naõ pode apacentar as suas ovelhas impedido de graves achaques que tolerou com grande resignaçaõ vivendo entre os seus Religiosos exemplarmente atè passar à immortalidade gloriosa em o Convento de Nossa Senhora da Graça de Lisboa a 22 de Março de 1719. quando contava 81 annos de idade. Fazem honorifica mençaõ do seu nome o P. D. Manoel Caetano de Souza nas Questoens Select. Bull. Cruciat. compostas por Lourenço Pires de Carvalho p. 76. Conimbricensis Academiae perpetuum desiderium, & immortale decus Provinciae Lusitanae Erimitarum S. Augustini e na Exped. Hisp. S. Iacobi Tom. 2. pag. 1326. §. 373. Carvalho Corograf. Portug. Tom. 1. pag. 92. por suas muitas letras, authoridade, e virtude Bispo de Angola. e Fr. Manoel de Figueiredo Flos Sanct. August. Part. 4. p. 140. §. 64. Foy dotado de rara agudeza nos argumentos, e singular facundia nos Sermoens. Compoz.

Sermoens Varios Tomo 1. Coimbra Iozè Ferreira. 1688. 4.

Sermoens Varios Tom. 2. Lisboa por Bernardo da Costa 1700. 4.

Sermoens Varios Tom. 3. ibi por Miguel Manescal. 1710. 4.

Sermoens Varios Tom. 4. ibi na Officina Deslandesiana. 1715. 4.

Sermoens Varios Tom. 5. ibi por Paschoal da Sylva 1716. 4.

Sermaõ ao recolher da Procissaõ dos Passos do seu Collegio de Coimbra.

Coimbra por Rodrigo de Carvalho Coutinho Impressor da Universidade. 1673. 4.

Sermaõ das Lagrimas da Magdalena prègado na Caza da Misericordia de Coimbra. Coimbra por Iozè Ferreira 1676. 4.

Sermaõ em o Prestito que a insigne Universidade de Coimbra fez á Igreja da Raynha Santa Izabel em acçaõ de graças pelo nacimento do Principe Nosso Senhor. Coimbra por Iozè Ferreira Impressor da Universidade 1690. 4.

Sermaõ no Auto da Fè que se celebrou em a Cidade de Coimbra em o Atrio de S. Miguel na primeira Dominga de Iulho de 1691. Coimbra pelo dito Impressor. 1691. 4.

Sermaõ das Exequias do Illustrissimo Senhor D. Fr. Iozè de Alencastre Bispo Inquisidor Geral no Convento dos Remedios dos Padres Carmelitas Descalsos de Lisboa em 23. de Outubro de 1705. Lisboa por Miguel Manescal 1706. 4.

Sermaõ nas Exequias do Serenissimo Senhor D. Pedro 2. Rey de Portugal que se celebraraõ na Santa, e Real Caza da Mizericordia da Cidade de Lisboa em 6 de Fevereiro de 1707. Lisboa por Miguel Manescal Impressor do Santo Officio 1707. 4.

Sermaõ do Auto da Fè que se celebrou no Rocio da Cidade de Lisboa em Domingo 6 de Novembro do anno de 1707. Coimbra por Iozè Ferreira 1707. 4.

Utrum Christi fideles possint intra annum pro multis defunctis tot Bullas defunctorum sumere quot voluerint: an solùm duas; unam scilicet in principio anni, & post sex menses alteram ? Sahio desde pag. 37. até 52. do Tom. 1. Quaest Seled. Bul. Cruciat per Laurentium Pires de Carvalho.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]