IOZÉ RODRIGUES DE ABREU naceo em a Cidade de Evora a 31 de Agosto de 1682. onde foy virtuosamente educado por seus Pays Manoel Rodrigues de Abreu, e Maria Antunes. Aprendeo na Universidade da sua patria as letras humanas, e Filosofia recebendo o gráo de Mestre nesta Faculdade a 18 de Agosto de 1699. No anno seguinte passou à Athenas Conimbricense onde aplicado ao estudo de Medecina fez distintos progressos entre todos os seus condiscipulos cuja Faculdade practicou com aplauzo em Lisboa atè que embarcandose a 30 de Novembro de 1705. com Antonio de Albuquerque Coelho Governador do Rio de Ianeiro, Capitania de S. Paulo, e das Minas discorreo por todas estas terras com observaçaõ de sabio colhendo varias noticias das virtudes medicinaes das ervas, e plantas que produzem aquellas vastissimas terras. Restituido a Portugal a 26 de Outubro de 1714. sendo eleito Fisico mòr das Armadas por provisaõ de 15 de Mayo de 1716. foy nomeado para acompanhar ao Conde do Rio grande General da Armada expedida contra os Turcos que sitiavaõ a Ilha de Corfú o que executou promptamente como na jornada que no anno de 1729. fizeraõ as Magestades Portuguezas ao rio Caya para concluir os augustos despozorios dos Principes do Brazil, e Asturias. Em remuneraçaõ destes serviços recebeo o habito da Ordem militar de Christo a 14 de Mayo de 1724. com o foro de Fidalgo por alvará de 18 de Outubro do dito anno, e ultimamente ser nomeado Medico da Camara de Sua Magestade. Compoz

Luz de Cirurgioens embarcadissos que trata das doenças epidemicas de que custumaõ enfermar ordinariamente todos os que se embarcaõ para as partes Ultramarinas. Lisboa por Antonio Pedrozo Galraõ. 1711. 4.

Historiologia Medica fundada, e estabelecida nos principios de George Ernesto Stahl famigeradissimo Escritor do prezente seculo, e ajustada ao uso practico deste Paiz. Tom. 1. em que se contem as suas instituiçoens incluidas na Physiologia, Pathologia, e Semiologia primeiras partes da Medecina. Lisboa na Officina da Musica 1723. fol.

Historiologia Medica Tomo 2. dividido em duas partes em que se contem a practica geral, e essencial curatoria das queixas a que està sogeito o corpo humano incluidas na praxe Medica. Lisboa por Antonio de Souza, e Sylva 1739. fol.

Historiologia Medica Tom. 2. Part. 2. Lisboa por Francisco da Sylva 1745. fol.

Historia das Minas Brasilicas. M. S. 4.

Historia das perturbaçoens dos Payzes Baixos no tempo do Emperador Carlos V. Filippe II. Margarida de Parma, e Duque de Alva, e dos mais Governadores que se seguiraõ até a conclusaõ da Tregoa com os Estados confederados das Provincias unidas. fol. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]