Fr. FILIPE DA PURIFICAÇAM teve por Patria Villa-Real em a Provincia  Transmontana, e por Pays a Luiz Rodrigues da Veyga, e D. Ignez de Guimaraens de Carvalho, semelhantes em qualidade do nacimento, como em a innocencia dos costumes. Instruido em as letras profanas, passou a estudar Direito Pontificio em a Academia Conimbricense, onde recebeo o grào de Licenciado com geral applauso dos Cathedraticos. Podendo aspirar aos lugares mais honorificos com as esperanças bem fundadas da sua litteratura, de que tinha por exemplar a seu irmaõ Ruy Lopes da Veyga, que de Deputado do Conselho Geral do Santo Officio, e Dezembargador do Paço, fora assumpto á Cathedral de Elvas, preferio com heroica resoluçaõ abraçar o penitente Instituto da Religiaõ Serafica na reformada Provincia da Arrabida. A grave prudencia, e summa affabilidade de que era ornado, o habilitaraõ para occupar todos os lugares da Religiaõ, pelo largo espaço de trinta annos, sendo varias vezes Guardiaõ, duas Diffinidor, huma Vigario Provincial, e duas Ministro Provincial. Foy Visitador das Seraficas Provincias de Portugal, Santo Antonio, e de Saõ Paulo em Castella, deixando em taõ numerosas Communidades os mais solidos documentos para conservaçaõ da observancia regular, valendo-se mais da ternura de Pay, que da severidade de Prelado para reformar abuzos, e castigar delictos. Ao tempo, que assistia no Convento de Alferrara, sentindo-se avizado da morte pelas molestias de huma doença, se preparou com as armas dos Sacramentos para o ultimo conflicto, e entre amorosos colloquios com Christo Crucificado, lhe entregou o espirito a 6. de Outubro de 1613. O seu corpo foy sepultado na Capella mòr do mesmo Convento. Compoz.

Tratado da vida do Padre Fr. Luiz de Elna Religioso Arrabido. M. S. Desta obra faz mençaõ Cardoso Agiolog. Lusit. Tom. 3. pag. 145. no Comment. de 9. De Mayo letr. E.

Memorial dos principios, e progressos da Provincia da Arrabida, atè o anno de 1585. M. S. Esta obra allega repetidas vezes o mesmo Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 1. pag. 94. no Cõment. de 9. de Janeiro letr. F. e pag. 273. no Cõment. de 27. de Jan. letr. E. e no Tom. 2. pag. 533. no Cõment. de 12. de Abril letr. E. e pag. 695. no Cõment. de 23. de Abril letr. G. e H. Fr. Antonio da Piedade Chron. da Prov. da Arrab. Tom. 1. liv. 5. cap. 11. § 1117. Occupava-se em escrever as vidas dos Religiosos, que floreciaõ em virtudes, e o seu Memorial citaõ muitas vezes o Agiologio Lusitano, do qual se aproveitaraõ também os nossos Irmãos Fr. Luiz da Ascençaõ, e Fr. Andrè de S. Paulo para nos participarem noticias, que deixaram escritas.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]