D. LUIZ DA CUNHA Commendador de Santa Maria de Almendra da Ordem militar de Christo nasceo em Lisboa a 23. de Janeiro de 1662. Foraõ seus Progenitores D. Antonio Alvares da Cunha decimo quinto Senhor de Taboa, Trinchante mór dos Serenissimos Monarchas D. Ioaõ IV., D. Affonso VI., e D. Pedro II. Commendador de Santa Maria de Cerrezado, e S. Miguel de Nogueira da Ordem de Christo, Deputado da Junta dos Tres Estados, Coronel de hum Regimento da Corte, e Guarda mór da Torre do Tombo de quem se fez larga memoria no seu lugar, e D. Maria Manoel de Vilhena filha de D. Christovaõ Manoel Senhor do Morgado de Alcarapinho Commendador de S. Paulo de Maçãas, e D. Anna de Fatia, e irmaã do grande Heroe D. Sancho Manoel Conde de Villaflor. Na Academia Conimbricense mostrou a viva comprehensaõ de que o dotara a natureza onde aplicado ao estudo da Jurisprudencia Pontificia fez taes progressos que recebidas as insignias doutoraes, e precedendo o Exame vago em o Dezembargo do Paço foy nomeado Dezembargador do Porto em o anno de 1686. donde passou para a Casa da Supplicaçaõ a 14. de Outubro de 1688. e depois a Dezembargador dos Aggravos, e ultimamente a Senador Palatino. Obtendo o Arcediagado do Bago da Cathedral de Evora de que tomou posse a 16. de Fevereiro e 1702. o renunciou. A madureza do juizo cultivada com as instruçoens da Historia, e da Politica o habilitaraõ para ser eleito no anno de 1696. pela Magestade de D. Pedro II. Enviado Extraordinario á Corte de Londres, e desde este tempo ate o presente se naõ restituhio a Portugal ocupado sempre em o serviço do seu Principe. Assistio em Londres atè o anno de 1712, no qual foy mandado com o caracter de Plenipotenciario, e Embaixador Extraordinario ao Congresso de Utrech onde assinou no anno de 1715. o Tratado com a nossa Corte, e de França, e Castella. Com o mesmo Caracter assistio em Londres para congratular a Jorge I. da sua elevaçaõ ao Trono de Inglaterra donde passou com o mesmo lugar a Corte de Madrid, e nella foy nomeado Plenipotenciario ao Congresso de Cambray, que naõ tendo efeito, residio em Pariz onde pacificadas com prudente sagacidade algumas diferenças que haviaõ entre a Coroa de Portugal, e de França foy declarado Embaxador Extraordinario nesta grande Corte em que assistio respeitado como Oraculo da Politica exercitada pelo largo espaço de cincoenta annos promovendo com igual credito do seu nome, que gloria do seu Soberano os interesses desta Monarchia. Falleceo repentinamente na Corte de Pariz a 9. De Outubro de 1749. quando contava 87. annos de idade. Sendo eleito no anno de 1723 . Academico Supranumerario da Academia Real da Historia Portugueza a congratulou com a seguinte.

Carta em reposta do avizo que o Secretario da Academia lhe fez de estar nomeado Academico Supranumerario. Escrita em Pariz a 10. de Março de 1723.

Sahio no Tom. 3. da Collec. dos Documentos da Acad. Real Lisboa por Paschoal da Silva Impressor delRey 1723. fol.

Memorias Historicas das Negociaçoes do seu Ministerio pelo espaço de cincoenta annos. Oferecidas á magnifica Livraria delRey D. Ioaõ o V. fol. 6. Tom.

Saõ primorosamente escritas com os Principios debuxados. Desta obra faz honorifica memoria o Padre D. Antonio Caetano de Sousa Hist. Gen. da Cas. Real Portug. Tom. 7. p. 688. e Tom. 12. p. 836. dizendo ser obra de singular estimaçaõ.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]