MANOEL BOCARRO FRANCEZ naceo em Lisboa no anno de 1588. Sendo filho de Fernaõ Bocarro insigne Medico, e bisneto de Antonio Bocarro Capitaõ de Safim. Ornado de engenho perspicaz, e sublime comprehensaõ fez admiraveis progressos na intelligencia das linguas Latina, Grega, e Hebraica, como nas sciencias da Mathematica, e Medecina de cuja Faculdade aprendida na Universidade de Mompilher recebeo o grao do Doutor, que tambem teve em a Universidade de Alcala conferido pelo Cathedratico de Prima Pedro Garcia Carrero, e ultimamente em a de Coimbra. O novo methodo com que triunfava das enfermidades mais rebeldes lhe conciliou tanta fama ao seu nome, que era chamado dos mayores Principes para os restituir á saude perdida entre os quaes se distinguiraõ as duas Emperatrizes Leonor, e Maria e o Principe de Dinamarca filho de Christerno IV. Em Roma se aplicou com disvelo ao estudo da Mathematica, e Astrologia ouvindo explicados os solidos fundamentos destas sciencias por aquelles dous Oraculos Galileo e Keplero que se gloriavaõ de ter taõ grande discipulo com que se authorizava o seu magisterio. Os dotes scientificos unidos com afabilidade natural, e summa madureza o introduziraõ na estimaçaõ das primeiras pessoas de ambas as Jerarchias, como foraõ em Portugal o Duque de Bragança D. Theodozio, e seu irmaõ D. Constantino; D. Luiz de Lancastro Commendador mór de San-Tiago; D. Fr. Aleixo de Menezes Arcebispo de Braga, e Vice-Rey de Portugal: em Castella D. Balthezar de Zuniga Prezidente do Conselho de Italia, o Duque de Lerma, e o Duque de Belmonte D. Jayme de Cardenas: em Roma o Duque de Pastrana Embaxador de Castella: em Flandes o Archiduque de Austria Leopoldo; em Alemanha o Emperador Fernando III. dando-lhe o honorifico Titulo de Conde Palatino por Alvara passado em Ratisbona a 17. de Julho de 1647. e o nosso Infante o Senhor D. Duarte. Da estimaçaõ de tantos Principes, e Cavalheiros se conhece o alto conceito que faziaõ do seu talento, e como por toda a vida discorreo pelas principaes Cortes do mundo adquirio com a comunicaçaõ de tantas naçoens igualmente diversas nas linguas, como nos custumes hum thezouro de noticias Filologicas com que se fazia mais respeitado o seu nome. Venturosamente vaticinou a aclamaçaõ do Serenissimo Rey D. Joaõ o IV. por cuja causa foy prezo pelos Castelhanos arguido de incitar a tumultos o povo Português com a esperãça de novo Principe, e sendo restituido á sua liberdade pela intervençaõ de D. Fernando de Alvia passou a Roma onde por beneficio da impressaõ fez patente o vaticinio da restauraçaõ de Portugal do jugo Castelhano. Sendo chamado da Cidade de Leorne onde assistia para curar a Duqueza de Strozzi falleceo em Florença no anno de 1662. quando contava 74. annos de idade. Fr. Manoel Homem Resurreic. De Portug. o intitula Famoso Astrologo. Macedo Lusit. Liber. n. 79. Medicum, & Mathematicum insignem. Galileo Galilei Virum admirandum, & doctissimum Astrologorum Principem e o Padre Ant. Vieyra Palavr. do Preg. empenhad. E dezempenhad. pag. 232. bem conhecido na nossa terra, e mais nas estranhas. Compoz

Tratado dos Cometas que apareceraõ em Novembro passado de 1618. Lisboa por Pedro Crasbeeck 1619. 4. Na Dedicatoria ao Inquisidor Geral Fernaõ Martins Mascarenhas affirma ter ja completa a obra seguinte.

Commentario sobre a verdedeira compoziçaõ do mundo contra Aristoteles. Conservava-se M. S. nas Bibliothecas Krisiana, e do Marquez de S. Filippe como constava dos seus Catalogos impressos em Amsterdaõ, e assim o refere o addicionador da Biblioth. Nautica de Antonio de Leaõ Tom. 2. Tit. 1. col. 1004.

Anacephaleoses da Monarchia Lusitana. Lisboa por Antonio Alvares 1624. 8. Consta de 131. Outavas. Esta obra he dividida em 4. Anacephaleoses. Dedicada á Magestade de Filippe III. O argumento era mostrar como Portugal hade ser a ultima, e mais poderosa Monarchia do mundo, e no fim trata com brevidade da Pedra Filozofal. A esta primeira Anacephaleoses intitulada Estado Astrologico que sómente se imprimio, se seguiaõ as tres seguintes cujos titulos eraõ.

Anacephaleoses 2. intitulada Estado Regio. Consta de todos os Reys que teve Portugal desde o Conde D. Henrique até Filippe que entaõ governava. Dedicada a D. Diogo da Silva, e Mendoça Marquez de Alanquer, e Duque de Francavilha.

Anacephaleoses 3. intitulada Estado Titular. Especifica os Titulos que compoem a nossa Monarchia, assim Ecclesiasticos, como seculares com huma breve narraçaõ das terras sojeitas a Portugal. Dedicada a Fernaõ Martins Mascarenhas Inquisidor Geral.

Anacephaleoses 4. intitulada Estado Politico. Relata os Varoens illustres, que produzio Portugal. Dedicada ao Serenissimo Duque de Bragança D. Theodozio. Sahio traduzida em latim a primeira Anacephaleoses Verso por Verso pelo mesmo Bocarro com o seguinte titulo.

Status Astrologicus Anacephaliosis primae Monarchiae Lusitanae in qua continentur miranda prognostica super regnorum Hispaniarum, & totius Europae mutationem, & virorum admirandorum, ultimaeque Monarchiae praedictionem. Hamburgi apud Henricum Wernerum 1644. fol.

Desta obra conserva hum exemplar meu Irmaõ D. Jozé Barboza na sua selecta Livraria.

Luz pequena lunar, e estellifera da Monarchia Lusitana: explicaçaõ do primeiro Anacephaleoses impressa em Lisboa. 1624. Sobre o Principe encuberto, e Monarchia alli prognosticada: referem-se os versos das 4. Anacephaleoses porque os Castelhanos impediraõ imprimirem-se com outras. Roma. 1626. 8. Sem nome do Impressor. Sahiõ esta obra por industria de Galileo. Galilei, e no fim della faz mençaõ de outros Tratados como saõ.

Prognostico geral do anno de 1615. até 1640.

Prognostico particular até a anno de 1633. acerca de Espanha. Juizo sobre o nacimento dos Reys.

Fasciculus trium Verarum Propositionum, Astronomicae, Astrologicae, ac Philosophicae. Dedicado a Cosme de Medicis graõ Duque de Florença. Prima Propositio Astronomica est de mundi, ac praesertim Caeli compositione.  Consta de 145. Versos heroicos latinos. Secunda Astrologica, sive faetus astrologici libri quattuor diversas continens praedictiones. He dividido em 4. livros o 1. Consta de 560. versos heroicos latinos o 2. de 650. o 3. de 471. e o 4. de 669. No fim promete 5. livro 3. Philosophica, sive Carmen intellectuale de scientiis in decem sectiones divisum. Florentiae. 1622. Romae. 1626. e Amstelodami 1639.

Regnum Astrorum reformatum, cujus fundamentum Caelestis Astronomiae praxis Tomus primus, ubi omnium syderum ex praestantissimis Tychonis Brahae expositionibus, Christiano, Longomentano, & Joanne Keplero manudictione nostra perdocentur &c.

Astrologiae restitutae. Tomus alter in quo judicia astrorum quae ab Haebreis, Chaldeis, Graecis, Latinis, Arabibus antiquis, & modernis sunt tradita, tam quod generalia Mundi eventa, tam quoad particularia, & hominum nativitates methodica, & rationali via multiplicibus theorematibus per varias observationes à nobis adaucta, & variis exemplis confirmata noviter in verae, ac novae artis fórmam exponuntur. Hamburgi apud Henricum Walterum 1644. fol. Naõ consta mais que destes titulos, e dos Capitulos em que se comprehendia esta obra.

Faetus Astrologicus libri tres. Consta o 1. de 545. Versos heroicos latinos, o 2. de 644., e o 3. de 470. Hamburgi apud eumdem Typog. 1644. fol.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]