P. MANOEL CONCIENCIA natural de Lisboa onde teve por pays a Joaõ Soares Conciencia, e Barbara Soares. O genio que na primeira idade mostrou para as letras foy prognostico certo do augmento que havia de fazer nos annos mayores. Da escola das Humanidades, e Poesia passou á Universidade de Coimbra onde aplicado á Jurisprudencia Cesarea recebeo o grao de Licenciado com aplauzo dos Cathedraticos. Ordenado de Presbitero considerando as caducas glorias com que o mundo custuma lizongear os coraçoens humanos, deixou a Academia Conimbricense pela Congregaçaõ do Oratorio de Lisboa vestindo a roupeta a 2. De Fevereiro de 1698. Em taõ virtuosa palestra se empenhou a exceder aos Congregados nos exercicios espirituaes para cujo fim o estimulavaõ a dignidade do sacerdocio, e a madureza da idade. O confessionario, e o cubiculo eraõ os lugares em que sempre assistio derigindo em hum com a voz, e em outro com a penna as almas ao caminho do Ceo. Foy cordialissimo devoto de Maria Santissima cujo afecto explicava por eloquentes elogios em todos os seus Sermoens, e Practicas. De toda a erudiçaõ sagrada, e profana teve abundante instruçaõ como tambem da Historia Ecclesiastica, e Secular. Foy Qualificador do Santo Officio, e Examinador Sinodal do Patriarchado de Lisboa. Cheyo de virtuosas obras falleceo piamente a 26. de Março de 1739. Compoz

Devoto de Maria Santissima instruido em varios modos que se lhe propoem para praticar a sua devoçaõ. Lisboa na Officina de Antonio Pedrozo Galraõ 1705. 16.

Novenas para os principaes Mysterios de Maria Santissima Senhora nossa. Lisboa por Joseph Lopes Ferreira Impressor da Rainha Nossa Senhora 1713. 12. & ibi por Mauricio Vicente de Almeida 1737. 12. 2. Tom. & ibi por Pedro Ferreira 1744. 12. 2. Tom.

Novena para a Festa do Mystico Doutor S. Joaõ da Cruz primeiro Carmelita Descalço, segundo fundamento da sua reforma, filho primogenito, e Coadjutor fidelissimo da Serafica Madre Santa Thereza. Lisboa por Joseph Lopes Ferreira 1715. 12.

Coroa Angelica em obsequio do Soberano Principe da Igreja Triumphante, e Militante o glorioso Archanjo S. Miguel. Lisboa por Joseph Lopes Ferreira 1715. 12.

Obsequios do felicissimo Espozo de Maria dignissimo Pay putativo de JESUS o Senhor S. Jozé. Lisboa pelo dito Impressor 1715. & ibi por Antonio Pedrozo 1717. 24.

Novena da Prudentissima Virgem, e Serafica Madre Santa Thereza de Jesus Fundadora, e Matriarcha da Sagrada Reforma Carmilitana. Lisboa por Bernardo da Costa Impressor do Serenissimo Infante 1716. 24.

Innocencia prodigiosa, triumfos da Fè e da Graça nas vidas, e martirios admiraveis de varios meninos, e meninas Santas. Tom. 1. Lisboa na Oficina da Musica. 1721. 4.

Tomo 2. Lisboa por Antonio Pedrozo Galraõ 1727. 4.

Reclamo do Amor Divino. Novena Perparatoria para a Festa solemnissima do Espirito Santo. Lisboa por Francisco Xavier de Andrade 1724. 24.

Sermoens Panegyricos, e Moraes Tom. 1. Lisboa por Jozé Manescal. 1722. 4.

Tomo 2. Lisboa por Bernardo da Costa de Carvalho 1726. 4.

A mocidade enganada, e desenganada. Duelo espiritual onde com gravissimas sentenças da Escritura, e Santos Padres, com solidas concideraçoens, e exemplos muy singulares de erudiçaõ sagrada, e profana se propoem e convencem em fórma de Dialogo todas as escuzas que a mocidade, e qualquer outro pecador allega, e com que se engana para se naõ converter a Deos. Tom. 1. Lisboa por Antonio Pedrozo Galraõ 1728. 4. & ibi por Mauricio Vicente de Almeida. 1734.

Part. 2. Lisboa na Officina Augustiniana 1730. 3.

Parte 3. e Tom. 3, Lisboa por Mauricio Vicente de Almeida. 1731. 4.

Parte 3. e Tom. 4. Lisboa pelo dito Impressor 1731. 4.

Part. 5. Lisboa na mesma Officina 1737. 4.

Parte 6. Lisboa na mesma Officina 1738. 4.

Delicias do Coraçaõ Catholico o suavissimo Menino Jesus nacido em Belem. Lisboa por Antonio Pedrozo Galraõ 1724. 8. & ibi por Mauricio Vicente de Almeida. 1732. 8.

Obsequios de Maria Santissima Senhora Nossa para alcançar o seu patrocinio especialmente na hora da morte. Lisboa por Mauricio Vicente de Almeida 1732. 16.

Academia Universal de varia erudiçaõ sagrada, e profana em que se illustraõ algums lugares da Sagrada Escritura; propoem algumas questoens eruditas, e se referem diversas historias, e noticias naõ menos deleitaveis, que uteis. Lisboa pelo dito Impressor 1732. 4.

Aljava de sagradas settas os Santissimos Coraçoens dos Soberanos Senhores Jesus, Maria, e Jozé. Lisboa pelo dito Impressor. 1733. 8.

Abismo admiravel das divinas finezas o Santissimo, e augustissimo Sacramento da Eucharistia. Propoemse hum afectuoso exercicio para o seu culto, e devota preparaçaõ para a sua Festa. Lisboa pelo dito Impressor. 1734. 12.

Via sacra explicada, e illustrada com a nova declaraçaõ feita pela Santidade de Clemente XII. Traduçaõ de Italiano do Padre Leonardo do Porto Mauricio em Portuguez. Lisboa pelo dito Impressor. 1734. 12. sem o nome do Traductor.

Floresta novissima de varias acçoens sentenciosas, e illustradas com todo o genero de erudiçaõ. Tom. 1. Lisboa pelo dito Impressor 1735. 4.

Tom. 2. Lisboa pelo dito Impressor 1737. 4.

Novena para a Festa de Maria Santissima dos Dezemparados com o titulo das Merces. Lisboa pelo dito Impressor 1737. 16.

Vida admiravel do glorioso Thaumaturgo de Roma perfeitissimo modello do Estado Ecclesiastico o sagrado Fundador da Congregacaõ do Oratorio S. Felippe Neri 1. e 2. Part. Lisboa na Officina da Congregaçaõ 1738. fol.

A velhice instruida, e destruida. Propoemse em forma de Dialogo com gravissimas sentenças, singulares exemplos, e todo o genero de erudiçaõ os muitos privilegios, que lhe competem, e a ennobrecem: as virtuosas instruçoens de que necessita para se derigir, e recta se conservar, e os vicios, que moralmente a profanaõ e destroem para os fugir. Opusculo ascetico, e muy util ainda para outras idades. 1. e 2. Part. Lisboa na Regia Officina Silviana. 1742. 4.

Exercicio afectuoso em obsequio de Christo Senhor Nosso com o titulo de Bom Pastor &c. Lisboa na Officina Joaquiniana da Musica. 16. sem anno de Impressaõ.

Divertimento proveitozo, e deleitavel em que se propoem varias Historias, e noticias tiradas das Divinas, e humanas letras. 4. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]