MANOEL GONÇALVES DA COSTA, naceo no lugar de Peras alvas, termo da Villa de Montemor o Velho do Bispado de Coimbra a 9. de Abril de 1605 sendo filho de Diogo Gonçalves, e Anna Jorge. Estudou Gramatica na patria, Filosofia em Coimbra, e Mathematica da qual teve por Mestre a Fr. Pedro de Menezes Benedictino, e Cathedratico em a Academia Conimbricense. Querendo assistir a seus Pays q estavaõ em idade caduca deixou os estudos, e ordenado de Presbytero no anno de 1629. passou a Lisboa para se oppor a algum Beneficio das Ordens militares. Neste tempo como suplicasse a ElRey D. Joaõ IV. o Doutor Francisco da Cunha, que lhe nomeasse companheiro para o governo do Bispado de Leiria por estar o seu Bispo ausente em Madrid o elegeo aquelle Monarcha com promessa do primeiro Canonicato, que vagasse naquella Cathedral. Desenganado de alcançar premio ao seu merecimento se applicou com mayor disvélo ao estudo da Mathematica compondo no espaço de vinte e dous annos os Prognosticos de cada hum calculados conforme o clima deste Reyno. Falleceo no anno de 1688. Publicou Noticias Astrologicas, e universal influencia das Estrellas. Lisboa por Antonio Crasbeeck 1659 4.

Brachilogia Astrologica do Sol, Lua, e mais Planetas com todos os aspectos entre si, e mais constellaçoens celestes, eclypses, e Prognosticos de seus efeitos. Coimbra por Thomé Carvalho Impressor da Universidade. 1670 4. Nesta obra dá noticia de Nossa Senhora da Saude, descripçaõ da sua Casa, e do Reyno de Portugal.

Ideae, divinae, ars que nova veram aetatem verbi Incarnati Jesu Christi Filii Dei vivi humanati, ac passi solis Justitiae ostendens; quam sol materialis, syderaque caelestia tamquam praecones perpetuè acclamant, & representant, seu opus magnum digiti Dei pro divino iIlustrismum, pro astronomico jucundissimum, in quo omnes sydereae aparentiae, motus que solis absque illis orbibus multiplicibus antiquorum artificum fictis salvantur, novaque sphaera desderata totum opus illustratur. 4. M. S.

Tratado dos Eclypses para que perpetuamente cada qual os possa conhecer em espaço de hum quarto de hora, especialmente os Lunares com sua duraçaõ, e quantidade. 4. M. S.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]