MANOEL DA GAMA LOBO, natural da Villa de Montemor o Velho do Bispado de Coimbra, sendo bautizado na Igreja Matriz a 22. de Novembro de 1658. Foraõ seus Progenitores, Manoel Chichorro Pinheiro, e D. Violante da Gama de igual nobreza á de seu consorte. Dotado pela natureza de engenho perspicaz, e feliz memoria se aplicou na Academia Conimbricense ao estudo da Jurisprudencia Cesarea para ser hum dos seus mayores ornatos pois recebendo nesta faculdade a borla doutoral, e admittido a Collegial de S. Pedro a 7. de Julho de 1691. regentou a Cadeira da Instituta de que tomou posse a 23. de Novembro de 1693. donde passou á do Codigo a 5. de Mayo de 1699. do Digesto velho com igualaçoens á de Vespora em o 1. de Abril de 1707. e ultimamente á de Prima a 7. de Fevereiro de 1716. Onde foy reconduzido a 25. de Dezembro de 1719. Fez respeitado o seu nome, e pessoa pela gravidade do semblante, subtileza do juizo, e profundidade do talento com que se distinguio de todos os Cathedraticos, ou fosse arguindo, ou defendendo nos actos literarios. Foy Conego Doutoral das Cathedraes de Braga, e de Evora, Deputado do Santo Officio de Coimbra, e Dezembargador do Paço. Falleceo em Coimbra a 20. de Fevereiro de 1742. em idade de 84. annos. Jaz sepultado no Collegio de Santo Antonio da Pedreira da Provincia Capucha de S. Antonio da qual foy sempre generoso Bemfeitor. As Postillas, que dictou no tempo do seu Magisterio ornadas de subtileza, e profundidade, sao as seguintes.

Relectio ad egregium Imperator. Antonin. responsum in l. 1. c. de fideicomissis.

Ad Tit. Cod. de crimine expilatae haereditatis. fol. M. S.

Ad Tit. ff. de Exceptione rei venditae, ac traditae. fol. M. S.

Ad Tit. ff. de jure Fisci.

Ad Tit. ff. de solut.matrimon.

Fazem delle memoria o Doutor Manoel Pereira da Sylva Leal Cathal. dos Colleg. de S. Pedro §. 141. e Fr. Pedro Monteiro Cathal. dos Deput. da Inq. de Coimb. §. 140.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]