MANOEL MACHADO DA FONSECA, Prior da Parochial Igreja de S. Christovaõ de Lisboa, insigne Poeta vulgar, e consumado Genealogico de que saõ indeleveis argumentos as suas obras. Falleceo em Lisboa sua patria do contagio, que a devastava no anno de 1599. Compoz

Arvore dos Senhores da Casa de Oliveira. Dedicada a D. Maria de Oliveira, filha de Joaõ de Oliveira e Miranda Senhor desta Casa que falleceo na Batalha de Alcacer, em o anno de 1578, e de sua mulher, D. Brites de Vilhena, filha de Luiz Alvares de Tavora, Senhor de Mogadouro. No principio desta obra lhe gravou hum Soneto, e no fim o seguinte Epigramma.

Mira tuis Miranda facis tu solus Olivae

Atque olei effusi nomen habere potes

Qualis es aequali prodis radice, nec ergo

Mirum si mirus fructus Oliva tuus.

Arvore da illustre Prosapia, e Casa de Miranda e de como se aparentaraõ com a principal Fidalguia nestes Reynos de Portugal, e fóra delles. Dedicada a mesma Senhora D. Maria de Oliveira.

Templo da Honra, e Nobreza do Reyno de Portugal. Dedicado ao Principe D. Filippe de Castella. Poema Heroico que consta de 9 Cantos, e cada hum principia com seu Emblema, e Epigramma latino. O argumento he a victoria que o Duque de Alva alcançou dos Inglezes no lugar de Alcantara suburbio de Lisboa, quando o Senhor D. Antonio Prior do Crato pertencia a Coroa de Portugal. Começa a 1. Outava

Do inclyto Varaõ, que a summa Alteza. Acaba a ultima do nono Canto

Na terra ter bom nome, e no Ceo gloria.  Conserva-se M. S. na Bibliotheca Real. Huma copia teve em seu poder Fr. Affonso da Madre de Deos Guerreiro Academico Real como consta da Collec. dos Documentos da Acad. Real do anno de 1726.

Arvore illuminada do Arcebispo de Lisboa D. Miguel de Castro.

Commentarios a Ode 24 do liv. 3. de Horacio, que he contra os Avarentos.

Discursos, e arvores illuminadas de algumas prosapias, e solares da Nobreza deste Reyno. Parte destas obras existe na Livraria do Convento de S. Bento de Lisboa. Deste Author faz larga mençaõ o P. D. Antonio Caetano de Sousa nas Adiçoens aos Authores Genealogicos impressas no fim do Tomo 8. da Hist. Gen. da Cas. Real Portug. pag. 5. onde se retrata da equivocaçaõ que padecera fazendo de hum Author dous nomeando o primeiro no Apparat. á Hist. Gen. p. 86. §. 78. e o 2. p. 155. §. 185. podendo tambem retratarse quando falla de Manoel Machado de Oliveira a pag. 177. §. 226. por ser o mesmo Manoel Machado da Fonseca.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]