P. ALEXANDRE DE GUSMÃO, Jesuita, cuja roupeta vestiu no collegio da cidade da Bahia a 28 de Outubro de 1646. Viveu no Brazil a maior parte da sua longa vida, e exerceu varios cargos na sua provincia, inclusivè o de Preposito provincial que foi duas vezes. – N. em Lisboa a 14 de Agosto de 1629, e m. no Seminario que fundara no logar da Cachoeira, a quatorze legoas da Bahia em 15 de Março de 1724. Barbosa fez menção de um seu retrato, gravado em Alemanha, o qual ainda não vi. – E.

175) (C) Escola de Belem, Jesus nascido no presepio. Evora, na Off. da Academia 1678. 4.o com um frontispicio gravado, além do rosto impresso. Segunda edição ibi, 1735. 4.o XIV‑319 pag.

176) (C) Menino Christão. Lisboa por Miguel Deslandes 1695. 8.o

177) (C) Sermão na Cathedral da Bahia de todos os Sanctos nas exequias do Ill.mo Sr. D. Fr. João da Madre de Deus, primeiro Arcebispo da Bahia. Lisboa, por Miguel Manescal 1686. 4.º de IV‑19 pag.

178) (C) Historia do Predestinado Peregrino e seu irmão Precito, em a qual debaixo de uma mysteriosa parabola se descreve o successo feliz do que se ha de salvar e infeliz sorte do que se ha de condemnar. Lisboa, por Miguel Deslandes 1682. 8.o de VIII‑254 pag. Evora, na Off. da Academia 1685. 8.o – Lisboa por Filippe de Sousa Villela 1724. 8.o (Sahiu traduzida em castelhano. Barcelona 1696. 4.o)

179) (C) Arte de crear bem os filhos. Lisboa, por Miguel Deslandes 1685. 8.o de XVI‑387 pag.

180) (C) Meditações para todos os dias da semana pelos exercicios das potencias da alma, conforme ensina Santo Ignacio. Ibi. por Miguel Deslandes 1689. 8.o de XVI‑272 pag.

181) (C) Rosa de Nazareth nas montanhas de Hebron, a Virgem Nossa Senhora na Companhia de Jesus. Ibi, na Off. Deslandesiana 1715. 4.o de XVI‑437 pag.

182) (C) Eleição entre o bem e o mal eterno. Ibi, na Off. de Musica 1720. 8.o de XXVIII‑526 pag.

183) (C) O Corvo e a Pomba da Arca de Noé no sentido allegorico e moral. Obra posthuma. Ibi, por Bernardo da Costa 1734. 8.o de XXIV‑221 pag.

184) (C) Arvore da Vida de Jesus Crucificado. Ibi, pelo mesmo 1734. 4.o

Todas as obras d’este auctor são estimadas pela pureza da sua dicção, e é no estylo muito menos desaffectado que a maior parte dos seus contemporaneos. As que não tiveram mais que uma edição são hoje raras de encontrar, mas nem por isso valem mais que o preço ordinario.

 

[Diccionario bibliographico portuguez, tomo 1]