Fr. MANOEL DE S. MATHIAS, naceo em Portugal donde partindo para o Oriente abraçou o instituto Serafico na Custodia de S. Thomé. Depois de estudar as sciencias necessarias a hum Regular se dedicou com indefesso trabalho, e apostolico zelo á converçaõ da gentilidade reduzindo ao conhecimento do verdadeiro Deos, innumeraveis habitadores de Ceilaõ, Salcete, Coulaõ, Manar, Ilha de Bardez, e o Reyno de Porcá com o seu Principe. Era dotado de taõ prudente juizo que foy medianeiro das pazes celebradas entre o Vice-Rey do Estado Ayres de Saldanha, e ElRey de Jafanapataõ. Praticou severamente os preceitos do seu instituto sendo muito mortificado, pobre, e penitente. Cumulado de heroicas virtudes falleceo no Convento de Goa que governava a 5 de Junho de 1632. Fazem das suas virtuosas acçoens larga memoria Fr. Fernando da Soled. Hist. Seraf. da Prov. de Portug. Part. 3. liv. 5. cap. 8. §. 900. e cap. 2. §. 921. e cap. 12. §. 929. E cap. 18. §. 973. e 974. e Part. 5. liv. 3. cap. 41. §. 872. Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 3. p. 554. e no Comment. de 5. de Junho letr. E. Fr. Paulo da Trind. Conquist. Espirit. liv. 1. cap. 26. Fr Jacinto de Deos Verg. de Plant. p. 2. Queirós Vida do Irmaõ Basto. liv. 3. cap. 2. e Nicol. Ant. Bib. Hisp. Tom. 2. p. 322. col. 1. Sementis Evangelicae inclytus apud Indos Orientis dispensator. Como era muito perito nas linguas Orientaes, e versado na liçaõ dos livros Gentilicos escreveo com bom estylo Dialogo, em que para serviço de Deos, e augmento da nossa Santa Fé Catholica se consultaõ todas as historias, e patranhas, que fizeraõ os Gentios do Oriente de seus falsos Deozes. 4. M. S. Desta obra fazem mençaõ Cardoso p. 561. E Nicolao Antonio nos lugares assima allegados.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]