MANOEL RIBEIRO NETO, natural da Cidade de Angra Capital da Ilha Terceira onde foraõ seus progenitores Manoel Mendes Duro, e Catherina Neto de Oliveira igualmente nobres, e opulentos. Depois de estar instruido nas letras humanas deixando a patria buscou a Universidade de Coimbra, onde aplicado á Jurisprudencia Canonica deu a conhecer a viveza do talento, e sublimidade de juizo com que penetrou as suas mayores difficuldades. Restituido á patria obteve hum Canonicato na sua Cathedral, e foy Vigario Geral da Diocese em cujo lugar se venerou a sua litteratura unida com summa rectidaõ. Falleceo em idade muito provecta a 3 de Janeiro de 1681. Jaz sepultado na Capella mór da sua Cathedral.

Compoz

Commentaria in Jus Civile in quibus universa ultimarum voluntatum materia tam speculative, quam practice explicatur. Ulysipone apud Joannem da Costa. 1678. fol.

Allegaçaõ de Direito sobre as meyas Conezias da Sè do Funchal na qual se disputa se os meyos Conegos della saõ Conegos, e se saõ obrigados a ministrar com capas, e Massas ao Celebrante.

Explicaçaõ de hum privilegio, que o Papa Gregorio XIII. concede a hum dos Altares da Sè do Funchal que o Bispo elegesse, reduzida a sinco Questoens principaes com os casos em que se póde dizer Missa de Requiem em dias Duplex, e Domingos.

Allegaçaõ de Direito sobre a nullidade de hum assento que fez o Cabbido da Sè do Funchal, e Constituiçaõ em que taxou certo estipendio pelos Officios de Requiem, que na dita Sè mandassem os seculares fazer com a mesma solemnidade com que se fazem aos Capitulares que morrem. Estas tres Allegaçoens sahiraõ juntas, e impressas. Lisboa por Domingos Carneiro. 1660. fol.

O segundo Tomo das Ultimas Vontades, deixou imperfeito.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]