Fr. MANOEL RODRIGUES, naceo na Cidade do Funchal Capital da Ilha da Madeira a 25 de Novembro de 1697., sendo filho de Francisco Moreira Romaõ, e Jozefa Maria Pereira, e sobrinho do Doutor Pedro Moreira Comissario do Santo Officio, Deaõ, e Governador do Bispado de Funchal. Quando contava treze annos passou da Casa de seus Pays para a de seu Tio o Capitaõ Manoel Netto Barreto morador no Rio de Janeiro. Estudou letras humanas no Seminario da Cachoeira com os Padres Jesuitas, e tal era a sua comprehensaõ que em anno, e meyo soube perfeitamente a lingua latina. No anno de 1716 assentou praça de soldado para a Nova Colonia do Sacramento em o Regimento do Mestre de Campo Manoel de Almeyda de Castello-branco donde sendo já cabo de esquadra, e sargento se alistou em outra mais nobre milicia vestindo o habito Serafico no Convento de Nossa Senhora da Assumpçaõ em Buenos Ayres a 25 de Julho de 1718., e professou solemnemente a 26 do dito mez do anno seguinte. Estudou Filosofia no Convento de Cordova distante cento, e vinte legoas de Buenos Ayres, e hum anno Theologia. Acompanhou a Fr. Jozé de Cardenas quando vizitou a Provincia da Santa Fé. Naõ continuou a Cadeira pela intempestiva morte de seus Pays, sendo obrigado amparar tres irmaãs donzelas, e orfaãs. Restituido ao Rio de Janeiro navegou para Lisboa onde mostrou o grande talento, que tem para o pulpito de que saõ fieis testemunhas as seguintes produçoens.

Sermaõ na festividade do Coraçaõ de JESUS no Real Mosteiro de N. Senhora dos Martyres das Religiosas de Sacavem. Lisboa por Mauricio Vicente de Almeida. 1732. 4.

Tardes da Quaresma prégadas na Igreja das Chagas Freguezia dos homens do mar no anno de 1638. Lisboa na Officina Silviana da Academia Real. 1738. 4.

Sermaõ Panegyrico em acçaõ de graças na solemne Festa, que pelas melhoras do Serenissimo Senhor Infante D. Antonio fizeraõ os seus criados na real Capella de N. Senhora das Necessidades. Lisboa na mesma Officina. 1739. 4.

Sermaõ de acçaõ de graças com Sacramento exposto no Convento de N. Senhora da Conceiçaõ de Religiosos Arrabidos pela melhoria do Muito AIto, e Poderoso Rey D. Joaõ o V. nosso Soberano. Lisboa, na mesma Officina. 1742. 4.

Sermaõ Panegyrico do Glorioso S. Luiz Rey de França. Lisboa, por Miguel Manescal da Costa Impressor do Santo Officio. 1746. 4.

Sermaõ de Acçaõ de Graças na solemnidade consagrada ao glorioso S. Luiz Rey de França no dia em que celebrava a Igreja o glorioso Santo Estevaõ Rey de Ungria pelo prodigioso milagre de restituir a falla a Catherina Roza de Jesus. Lisboa, por Francisco Luiz Ameno. 1748. 4.

Panegyrico Funebre nas Exequias do Muito Alto Poderoso, Fidelissimo Rey D. Joaõ V. de Portugal celebradas pelos Religiosos Alemaeñs na sua Igreja de S. Joaõ Nepomuceno em 31 de Outubro de 1750. Lisboa, por Miguel Manescal da Costa. 1750. 6.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]