MANOEL DE SOUSA MOREIRA, naceo em a Villa do Mogadouro da Provincia Transmontana, em o anno de 1648 onde teve por Pays a Francisco Moreira de Sousa, e Dona Maria Domingues de Antas igualmente nobres, e opulentos. A natureza o dotou de engenho perspicaz, e memoria feliz assim para comprehender, como para illustrar as sciencias amenas, e severas de que foy theatro a Universidade de Salamanca, onde estudada a Filosofia, e recebido o grao de Bacharel em a Faculdade de Direito Pontificio se incorporou na Universidade de Coimbra. A elevaçaõ do enthusiasmo, a cadencia do metro, e a affluencia do estylo o constituiraõ hum dos mais canoros Cisnes do Parnaso, assim na lingua materna, como na Castelhana, e Latina das quaes foy observantissimo cultor. Naõ foy inferior o seu talento na Oratoria arrebatando suavemente as attençoens dos mais celebres eruditos das Academias de Espanha, e Portugal quando ouviaõ os seus discursos ornados de aguda discripçaõ, e elegante fraze, ou fossem proferidos na Cadeira, ou recitados no pulpito, merecendo justamente o principado da eloquencia sagrada, e profana. Na idade de 30 annos recebeo ordens de Presbytero, e logo foy provido na Abbadia de S. Martinho do Pezo do Bispado de Miranda, donde passou para a de Santa MARIA de Castello-Branco do Arcebispado de Braga. Attendendo á sua grande capacidade o Illustrissimo Capellaõ mór, e Arcebispo de Lisboa Luiz de Sousa o nomeou Secretario do Padroado Real, e como este Prelado movido dos impulsos do seu generoso animo, e sublime espirito determinasse que se escrevesse a Historia da grande Casa de Sousa, de cujo fecundo, e veneravel tronco era dignissimo fruto lhe cometeo taõ alta empreza que desempenhou taõ heroicamente, que competio a elegancia do estylo com a soberania do assumpto. Eleito Abbade de S. Mamede do Lindoso, passou para a Igreja de Santa Maria da Chans do Padroado Real, situada no Concelho de Tavares do Bispado de Viseu, donde foy mudado para a Abbadia de N. Senhora da Assumpçaõ de S. Bade em o termo da Villa da Alfandega da Fé, em a Provincia Transmontana, Beneficio muito opulento do qual foy o ultimo Abbade por se annexar á Basilica Patriarchal de Lisboa. De ambas estas Igrejas tinha sido Abbade o grande Jacinto Freire de Andrade, e assim como foy seu sucessor, de que muito se gloriava, se fora certa a trasmigraçaõ das almas, como sonhou Pythagoras, parece o foy do seu talento por se admirar igualmente em ambos a discriçaõ, elegancia, e eloquencia assim na Poezia, como na Historia. Foy Academico Supranumerario da Academia Real da Historia Portugueza, cuja nomeaçaõ agradeceo com huma carta cheya de expressoens discretas. Falleceo em 13 de Dezembro de 1722, quando contava 74 annos de idade. Da sua pessoa fazem honorifica memoria. Franckenau Bib. Hisp. Herald. Geneal. p. 106. Salazar Hist. Geneal. de la Cas. de Lara, liv. 5. cap. 16. pag. 552. D. Antonio Caetano de Sousa Apparat. á Hist. Gen. da Cas. Real Portug. pag. 162. §. 198. Compoz

Theatro Historico, Genealogico, y Panegyrico erigido a la immortalidad de la Excellentissima Casa de Sousa. Pariz en la Emprenta Real por Juan Anisson director della 1694. fol. grande com estampas.

Herculeida. Poema Heroico latino que constava de 12 Cantos, que comprehendiaõ os 12 trabalhos de Hercules. 4. M. S.

Poemata varia. Consta de Epigrammas, e outros metros. 4. M. S.

Sermoens varios. 4. M. S.

Oraçoens, Problemas, e Discursos Academicos. 4. M. S.

Poezias Varias, que intitulou. Eccos de la Musa Transmontana. Comprehendem Romance Lyrico em que Affonso de Albuquerque relata a ElRey D. Manoel as acçoens que obrou no Oriente. Consta de 130. coplas. Romance em que D. Ignez de Castro estando sentenciada a morte falla com ElRey D. Pedro I. Fabula de Prometheo em 8. rima. Consta de 200. Outavas. Paris, Enone 1. Part. Paris, e Helena 2. Part. Comedia. Endimiaõ, e Diana. Loa aos Desposorios dos

Excellentissmos Condes de S. Joaõ. Consta de 150. Coplas. Loa aos annos da Excellentissma Senhora Condessa de Atouguia. Loa aos annos do Serenissimo Rey D. Pedro II. Loa aos annos da Serenissima Senhora Infanta D. Izabel representada no Paço. Affectos de Siquis, e Cupido em Tercetos. Loa ao Nacimento de Christo Senhor nosso. Fabula de Jupiter, e Europa, Sylva. Fabula de Venus, e Adonis, 8. rima. Dedicada em Salamanca ao Marquez de Pliego, filho do Duque de Feria. Epithalamio no Casamento da Senhora D. Anna de Lorena com o Senhor D. Rodrigo de Mello. A sua vida descrita em Outavas, com o titulo de Manleo Anagrama do seu nome.

Telemaco, traduzido em 8. rima. Deixou até o 3. livro, que naõ acabou preocupado da morte.

Duas Oraçoens recitadas na Academia instituida em Casa do Almirante de Castella 4. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]