Sor MARIA MICHAELA DO SACRAMENTO, chamada no seculo D. Michaela da Sylveira, naceo em Lisboa sendo filha natural de D. Miguel da Sylveira, Tenente General da Cavallaria, e Neta de D. Rodrigo Lobo da Sylveira I. Conde de Sarzedas Governador, e Capitaõ General de Tangere, Presidente do Senado de Lisboa, Conselheiro de Estado, e Vice-Rey da India, e de D. Ignez Luisa dos Serafins. Quando contava nove annos de idade, e muitos de prudencia se recolheo ao austero Claustro do Convento do Santo Crucifixo da sua patria, deixando com generoso desprezo o mundo antes de o conhecer, e chegando á idade capaz de professar fez a solemne profiçaõ a 25 de Junho de 1683, onde foy observantissima cultora do seu instituto. Foy Mestra de Noviças, e seis annos Abbadessa sem interrupçaõ. Passou de caduca a eterna em 22 de Abril de 1747. Com o nome de Indigna publicou traduzidos da lingoa Franceza do P. Fr. Jeronymo de Sens Lente de Theologia, e Capuchinho de Pariz em a materna.

Exercicios espirituaes muito uteis ás Religiosas para se entreterem no discurso dos des dias em que se retiraõ á Soledade. Lisboa por Antonio Pedroso Galraõ. 1698. 8. Della faz larga mençaõ D. Jozé Barbosa. Hist. da Fund. do Real Conv. do S. Crucifixo. p. 430.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]