Fr. MARCOS DE MOURA, natural de Villa-Franca de Xira do Patriarchado de Lisboa, onde teve por Pays a Affonso Annes, e Maria de Moura. Professou o sagrado instituto da illustre Ordem da Santissima Trindade no Convento de Lisboa a 14 de Junho de 1572, onde depois de dictar Filosofia aos seus domesticos, exercitou os lugares de Ministro dos Conventos de Santarem, e Cintra, Definidor, e Visitador Geral da Provincia, e seu Chronista. Foy Comissario da Bulla da Cruzada, quando o Papa Gregorio XIII. a concedeo para resgate dos Cativos, que perderaõ a liberdade na Batalha de Alcacer a 4 de Agosto de 1578. Tolerou com heroica constancia diversas adversidades movidas pela malevolencia de seus emulos. Falleceo no Convento de Lisboa no anno de 1611. Delle se lembraõ Fr. Bernardino de S. Antonio Epitom. Redempt. liv. 7. cap. ult. n. 18. Nicol. Ant. Bib. Hisp. Tom. 2. pag. 69. col. 1. e Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 1. no Coment. de 15 de Jan. letr. D. Compoz

Historia dos Instituidores, e Instituiçaõ da Ordem da Santissima Trindade, e das excellencias, e grandezas della. 2. Tom. 4. Conserva-se na Livraria do Excellentissimo Duque de Lafoens, que foy do Emminentissimo Cardeal de Sousa. O 1. Tomo foy escrito em Cintra no anno de 1595.

Chronica da Provincia de Portugal dividida em 3. Partes. Escrita no anno de 1605. M. S. Conserva-se a 3. e 4. Parte desta Historia no Convento de Lisboa.

Tratado da Genealogia de Christo nosso Senhor, e da Virgem MARIA sua Mãy, e dos nomes proprios, por onde comumente os chamamos. Escrito em 1600. fol. M. S. Conserva-se na Livraria dos M. S. do Convento de S. Domingos de Lisboa.

Dialogos Theologicos. M. S.

Trabalhos de Fr. Marcos de Moura. 4. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]