P. MATHEOS DE COUROS. Naceo em Lisboa, e sendo virtuosamente educado por seus Pays Ruy de Couros, e Luiza da Costa, deixou a sua companhia pela de JESUS, cuja roupeta vestio a 22 de Dezembro de 1583, quando contava desaseis annos de idade. Alcançada faculdade dos Superiores para a Missaõ do Japaõ em o anno de 1586, partio com vinte e nove companheiros, e chegando a Macáo aprendeo com summa brevidade a lingoa Japonesa. Foraõ innumeraveis os trabalhos que com imperturbavel animo tolerou em beneficio dos novos convertidos, sendo por diversas vezes procurado pelos barbaros para victima do seu furor, e como naõ quizesse desemparar aquellas tenras plantas, que com tanto disvelo cultivara, se ocultou em huma cova pelo espaço de trinta e sinco dias, onde escassamente entrava a luz, e recebia o alimento, com que parcamente sustentou a vida até que piamente a finalisou em huma cabana, naõ muito distante da Cidade de Fuximi a 29 de Outubro de 1633, quando contava 66 annos de idade, e 50 de Religiaõ. Foy duas vezes Provincial do Japaõ, por espaço de nove annos, e Governador do Bispado. Deste Varaõ Apostolico se lembraõ com elogios Bib. Societ. p. 594. col. 2. Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 3. p. 331. Nadasi Ann. dier mem. S. J. Part. 2. p. 250. Girard. Diario Part. 4. no dia 29 de Outubro. Alegambe mort. illustr. p. 433. Trigaut. de Christ. apud Jap. Triumph. lib. 1. cap. 14. Guerreiro Coroa de Soldad. Part. 4. cap. 49. Franco Imag. da Virtud. do Nov. de Coimb. Tom. 2. liv. 1. cap. 44. e pag. 625. Soar. de Brito Theat. Lusit. Litter. lit. M. n. 13. Taner Societ. Jes. usque ad sang et Vit. prof. milit. pag. 368. Cardim Elog. dos Relig. da Comp. pag. 151. Escreveo

Annuas do Japaõ feitas em Nangazachi. Sahiraõ traduzidas em Italiano. Roma por Bartholameo Zanetti 1605. 8. e Bologna, por Gio Bautista Bellagambe 1609. 8.

De duas Cartas deste Padre escritas em os annos de 1625, e 1626, transcreveraõ grande parte os Padres Antonio Franco, e Mathias Taner nos lugares assima allegados; e de huma escrita ao P. Vasco Pires, que fora seu Mestre em o Noviciado de Coimbra relata o Padre Franco na parte já citada as principaes clausulas.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]