Fr. MASSEO DE ELVAS, cujo apellido tomou da patria onde nacera, sendo chamado no seculo Martim da Sylva Telles. Foy filho de Manoel Telles de Menezes, e D. Francisca de la Peña filha de D. Alvaro de la Peña Fidalgo Castelhano. Com heroica resoluçaõ deixou o seculo professando o austero instituto da Provincia da Piedade, onde para se naõ lembrar da illustre familia de que procedia até mudou o nome com o habito. Nesta penitente palestra, onde foy eleito Provincial em Villa-Viçosa no anno de 1569, se exercitou em rigorosas penitencias, das quaes se naõ dispensava obrigado de varias molestias, e grãde numero de annos. Para conduzir as almas ao caminho da vida eterna assistia continuamente no Confissionario, onde com a natural ternura de que era dotado movia coraçoens obstinados. Falleceo na Villa de Thomar no anno de 1574. Traduzio de Castelhano em Portuguez

Manual de penitentes, e Confessores que tinha addicionado Fr. Antonio de Azurara, do qual se fez meçaõ em seu lugar, cuja obra sahio muito illustrada pelo insigne Doutor Martim Asplicueta Navarro, e sahio impressa em Coimbra, por Joaõ Barreira, e Joaõ Alvares 1555. 4. A traduçaõ de Fr. Masseo se publicou com o seguinte titulo

Compendio, e Summario de Confessores, tirado de toda a substancia do Moral copilado, e abbreviado por hum Frade da Provincia da Piedade acrecentado em lugares convenientes com as cousas comuas que se ordenaraõ no Concilio Tridentino. Coimbra por Antonio de Mariz 1567. & ibi pelo mesmo Impressor 1571. Salamanca por Alexandre de Canova 1572. 8. e Lisboa por Antonio Barreira 1579. 8. Sahio sem o nome do Author. A este compendio traduzio  em Castelhano Fr. Antonio Bernart Erimita Augustiniano, e sahio Sevilha por Andres Piscioni, y Juan de Leon. 1585. 8.

Fazem memoria de Fr. Masseo de Elvas, Fr. Manoel de Monforte Chron. da Prov. da Pied. liv. 3. cap. 52. e Fr. Joan. à D. Anton. Bib. Franc. Tom. 3. p. 9. c. 2.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]