PEDRO BARROSO, natural de Villa-Viçosa nobre por nacimento, e criado da Serenissima Casa de Bragança. Acompanhou ao Duque D. Theodozio na infeliz jornada de Africa no anno de 1578, onde foy cativo, e depois resgatado. Teve natural genio para a Poezia metrificando com estylo sublime, e elegante, como mostraõ quatorze Outavas que traz Francisco Moraes Sardinha no Parnaso de Villa-Viçosa. liv. 3. cap. 33. que principiaõ

Quando vejo de Aliarda a fermosura

Tanto sua belleza me cativa

Que naõ quero de amor mayor ventura

Nem Ihe peço mór bem para que viva:

Mas como sua aspereza ingrata, e dura

Tenha de condiçaõ ser sempre esquiva,

Com mór rigor me trata, e mór desprezo

Quando de suas graças me ve prezo.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]