LUIZ ALVARES DE ANDRADE natural de Lisboa filho de Affonso Alvares de Andrade, e Maria Franca. Foy educado com a solida doutrina daquelles dous Grandes Heroes da illustre, e sabia Religiaõ dos Pregadores Fr. Francisco de Bovadilha Confessor da Rainha D. Catherina, e Fr. Luiz de Granada, de cujo magisterio sahio exercitado em todas as virtudes. Teve cordial devoçaõ ao altissimo Mysterio da Santissima Trindade, e para que os coraçoens se acendessem na sua contemplaçaõ, como era perito na arte da pintura, fez muitos Quadros, em que se representavaõ as Tres Divinas Pessoas, e os collocou em diversos Templos. Igual, ou mayor foy a veneraçaõ que teve ao Santissimo Sacramento, em cuja presença postrado testemunhava pelo espaço de muitas horas com copiosas lagrimas o fogo que lhe abrazava o peito no culto de taõ amoroso Mysterio. Frequentava continuamente os Hospitaes, ministrando com as suas maõs o comer, e fazendo as camas aos infermos, aos quaes confortava para que resignados na divina vontade, tolerassem as molestias, e dores que padeciaõ. Naõ se coarctava a sua comiseraçaõ, somente aos vivos, extendia-se aos mortos, sendo perpetuo despertador de Sufragios em beneficio das Almas, que ardiaõ no Purgatorio. Á sua devota piedade se deve a instituiçaõ da Via-Sacra, em que se comtempla os Passos, que o nosso Redemptor deu com a Cruz ás costas desde o Pretorio até o Calvario, de cujo sagrado exercicio se formou a primeira Irmandade em o Convento de N. Senhora da Graça de Lisboa, confirmada pelo Illustrissimo Metropolitano della D. Miguel de Castro, vaticinando o grande premio que havia receber seu Instituidor na outra vida, e nesta os Fieis Christaõs naõ pequeno proveito. Provada a sua paciencia com acerbissimas dores de gota assim nos pés, como nas maõs, pelo largo espaço de quatorze annos chegou o termo de serem remuneradas suas virtudes, e depois de fortificado com as armas dos Sacramentos, espirou placidamente a 3. de Abril de 1631. Jaz sepultado no Cruzeiro da Casa professa de S. Roque de Lisboa. A sua vida escreveo seu filho Lucas de Andrade Capellaõ delRey, e Prior de Villa-Verde, do qual se fez mençaõ em seu lugar; della extrahio o Licenciado Jorge Cardozo o que relatou deste Varaõ no 2. Tom. do Agiol. Lusit. p. 408. e 413. no Comentario de 3. de Abril Letr. I. Á sua memoria dedicou o seguinte Elogio Fr. Bernardino de Santo Antonio, Provincial duas vezes da Religiaõ Trinitaria que foy achado entre os seus M. S. Ludovicus Alvares de Andrade Ulyssiponensis vir Catholicus, piusque, ac virtutibus praestans, magna in proximos charitate, in Sanctos maiori, in Deum maxima flagrans; cujus patientia diuturna infirmitate a Deo probata, nec non fuerat illustrata: pietasque ejus in Beatissimam Trinitatem, Sacrosanctumque Eucharistiae Sacramentum fide firmissima, religiosissimaque attestatum; atque in sanctas Fidelium defunctorum animas in Purgatorio existentes per omnia illuxerat; bonis operibus cumulatus, sacrisque Ecclesiae Sanctae Sacramentis devotissime sumptis ad superos (ut pie credimus) abiens, non obiens 3. Nonas Aprilis die Jovis Sanctissimo Eucharistiae Sacramento, cui adictissimus in vita fuerat, consecrato anno salutis 1631. Compoz,

Advertencias espirituaes para mais agradar a Deos N. Senhor, com hum exercicio muy proveitoso para depois da Comunhaõ. Lisboa por Antonio Alvares 1625. 12. & ibi pelo dito 1639. 12. & ibi pelo dito 1656. 12. & ibi por Joaõ da Costa 1674. 12. Sahio acrescentada esta obra por seu filho Lucas de Andrade, como se disse em seu lugar.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]