AFFONSO GUERREIRO, natural de Almodouvar na Provincia do Alentejo primo com irmão dos Padres Bartholameu Guerreiro e Fernaõ Guerreiro Iesuitas, dos quaes em seu lugar faremos menção. Foy formado na faculdade da Sagrada Theologia, sendo pela sua sciencia, que se fazia mais estimável pella inocencia dos costumes, eleito Prior da Parochial Igreja de S. Christovaõ na Cidade de Lisboa, em cuja occupaçaõ naõ menos se aplicava ao pasto das ovelhas, que à liçaõ dos livros. Para receber algum alivio dos contínuos trabalhos assim literários, como pastoraes se retirava a huma Quinta junto de Lisboa, onde sendo acometido no silencio da noite por alguns homens impios com intento de o roubarem, o privaraõ violentamente da vida no anno de 1581. Compoz: Das Festas, que se fizeram na Cidade de Lisboa na entrada delRey D. Philippe primeiro de Portugal. Lisboa por Francisco Correa 1581, 4. Deixou M. S. e imperfeita: Chronica del-Rey D. Sebastiaõ. Como também: Chronica da Religião da Sãtissima Trindade da Provincia de Portugal, cujos fragmentos vieraõ ao poder de Fr. Marcos de Moura Chronista desta Religião, de cuja obra, e seu Author fa memoria Fr. Bernardino de Santo Antonio no Epit. Redempt., lib. 2, cap. 11 & 4, fol. 123 & cap. vlt. & 31 e Cardozo Agiol. Lusitan., tom. 3, p. 383, no Comment de 13 de Mayo letra C. Por haver composta esta Chronica Affonso Guerrero se enganou Nicolao Antonio in Bib. Hispan., tom. 2, p. 315 escrevendo que fora Religioso Trino, quando elle nunca professou tal instituto, e somente foy muito affecto a esta Religião.

 

[Bibliotheca Lusitana, Historica, Critica e Chronologica, vol. 1]

 

P. AFFONSO GUERREIRO, Prior da freguezia de S. Christovam em Lisboa, natural de Almodovar, irmão dos jesuitas Bartholomeu e Fernão Guerreiro. Foi morto violentamente nas visinhanças de Lisboa ern 1581. – E.

48) (C) Das Festas que se fizeram na cidade de Lisboa na entrada d’elrei D. Philippe primeiro de Portugal. Lisboa, por Francisco Corrêa 1581. 4.º Consta de 59 folhas sem numeração, tendo no frontispicio uma tarja de gravura em madeira. Na livraria do Archivo Nacional da Torre do Tombo ha um exemplar d’este rarissimo opusculo, e sei da existencia de outro na Bibliotheca Publica de Braga. Não encontrando memoria de que algum tenha vindo ao mercado desde muitos annos, já se vê a impossibilidade de assignar‑lhe valor determinado.

 

[Diccionario bibliographico portuguez, tomo 1]