Fr. RAFAEL DA FONSECA, natural da Villa de Aveiro, onde teve por Pays a Antonio da Fonseca, e Catherina Nogueira. Recebeo o habito da preclarissima Ordem dos Prégadores no Convento patrio a 20 de Mayo de 1601 professando solemnemente a 26 do dito mez do anno seguinte. Nesta sabia palestra se distinguio dos seus domesticos na perspicacia com que penetrou as sciencias escolasticas, chegando a receber o grao de Doutor na Faculdade da Theologia, e governar a Provincia como Vigario Geral. Entre diversas obras, que compoz pertencentes a Theologia, que naõ lograraõ da luz publica, se fez unicamente patente.

Parecer sobre huma duvida em que foy consultado pelas Religiosas Dominicanas do Convento de Setubal. Assignado em 30 de Outubro de 1645. Sahio no Tom. 3. Decision Doctoris Emmanuelis da Fonseca Themudo. Decis. 283. Foy taõ concludente este parecer sobre a materia em que foy consultado, que julgou a causa, e pronunciou a sentença o mesmo Doutor Themudo a 25 de Dezembro de 1645, conforme resolvia o dito parecer. Fazem memoria de Fr. Rafael da Fonseca Joan. Soares de Brito Theatr. Lusit. Litter. lit. R. n. 1. Echard. Script. Ord. Praed. Tom. 2. p. 461. col. 2. e Monteiro Claustr. Dom. Tom. 3. p. 307.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]