SANCHO DE PEDROSA, cuja patria, e estado de vida se ignora, conhecendo-se que foy muito aplicado á Poezia em que fez naõ pequenos progressos da qual se lem Versos no Cancioneiro de Garcia de Resende. Lisboa por

Herman de Campos 1516. a fol. 75 vers. 133 vers. 160. 175 vers. e 181.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]