Fr. SEBASTIAÕ DE PAIVA, natural de Lisboa, e filho de Antonio Rodrigues de Paiva, e Maria da Cruz. Professou o sagrado instituto da illustre Ordem da Santissima Trindade em o Convento patrio a 14 de Março de 1621, onde dictou Theologia especulativa, e foy Prégador geral. Teve grande liçaõ da Historia Ecclesiastica, e Secular, como tambem profundo estudo da interpretaçaõ dos arcanos dos Profetas que estaõ na Escritura sagrada. Falleceo em Lisboa a 9 de Setembro de 1659. Compoz

Historia Paranetica dos Doutores antigos, que contém as vidas de Origines, Tertuliano, S. Cypriano, S. Athanasio, S. Gregorio Nanzianzeno, S. Ambrosio, e S. Joaõ Chrysostomo. Lisboa por Henrique Valente de Oliveira. 1657. 8.

Juridica reposta a hum papel anonymo M. S. que contra certas Censuras Apostolicas proferidas em huma Causa dos Religiosos da Santissima Trindade se divulgou, ibi pelo dito Impressor. 1658. fol.

Tratado dos Prodigios que aconteceraõ neste Reino do anno de 1554, até o de 1640. fol. M. S.

Tratado da Quinta Monarchia, e felicidades de Portugal profetizadas. fol. M. S., escrito no anno de 1641. Consta de 15 Capitulos. No 1 contém algumas advertencias para intelligencia do Discurso. No 2, mostra como ha de haver huma quinta Monarchia ultima do mundo debaixo da Ley de Christo Senhor nosso. No 3 como a quinta Monarchia ha de destruir o Imperio Ottomano, a Seita de Mafoma. No 4 traz muitos vaticinios que mostraõ a destruiçaõ da Seita de Mafoma. No 5 declara a que Naçaõ do Mundo está prometido o quinto Imperio. No 6 como naõ póde convir a quinta Monarchia aos Reys Castelhanos. No 7 propoem sinaes certos da pessoa que hade levantar a quinta Monarchia. No 8 traz outros sinaes, porque será conhecida a Pessoa que hade levantar a quinta Monarchia. No 9 trata da vida, e aparecimento delRey D. Sebastiaõ I. Principe da quinta Monarchia, e o que passou em Veneza, e outras partes. No 10 até o 15 vay  estabelecendo com o Juramento delRey D. Affonso Henriques, e algumas tradiçoens da vida delRey D. Sebastiaõ, ser este o Monarca que ha de estabelecer a quinta Monarchia.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]