SIMAÕ DE SOUSA, illustre por nacimento, e naõ menos pelo engenho poetico de que foy ornado, como publicaõ as suas Poezias no Cancioneiro de Garcia de Resende a fol. 152. 153. 154. 145. 146. 147. vers. 149. vers. 177. vers. 181. vers. 193. vers. até 196.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]